contos sol e lua

contos sol e lua

quinta-feira, 3 de março de 2011

A história de Shaiya.


Numa época anterior à todas as outras épocas, quando o mundo estava imerso em trevas, uma deusa veio de outra dimensão chamada Etaine, com a missão de criar o mundo de Shaya em harmonia e prosperidade.
Em 333 dias, através de sua determinação, força e de seu desejo por um mundo perfeito, ela criou a vasta e rica terra de Teos Epeiros. Ela inicialmente criou um grande oceano no qual ela mesma se submergiu para criar todos os continentes para fora de sua carne. As montanhas tinham grande altura e os rios corriam profundamente por todo o território em semelhança com as veias que corriam por dentro de seu corpo. Ela criou verdes florestas e planícies que afundavam as terras, semelhante ao seu jovem e vigoroso estado.
O céu e as estrelas herdaram sua perfeição e delicadeza da semelhança com os seus olhos.

Todas as vidas começaram das maõs da Deusa de Etaine. Primeiramente, ela criou os Deuses Dragões: Thelaiosis, para ajudá-la a governar o reino de Teinos Epeiros. Threemans, um dos thelaiosianos, sugeriu à Deusa de Etaine a criação de mais duas raças: os Noirden e os Dumianas iriam dramaticamente ajudar o progresso da prosperidade de Teos. Logo depois, com o apoio de Threemas, os Nordein e os Dumianas foram criados.

Os Nordein, infelizmente, nasceram com deformidades e desfavoráveis feições que fizeram a deusa avaliar o seu insucesso. Ela os colocou devolta no solo para que fossem esquecidos. Aprendendo com o erro anterior de criar uma raça sem uma previsão, os Dumianas foram feitos à imagem e semelhança da Deusa de Etaine com a lealdade e virtude dos thelaiosianos. Todos viveram em prosperidade e harmonia e adoraram à Deusa de Etaine.

Com o passar do tempo, os Dumianas desenvolveram a força. A deusa deu a eles a capacidade do pensamento e do conhecimento, sem saber que tais bençãos no final estimulariam ambições, dúvidas, e crescimento do desrespeito e negação da sua autoridade. Os Dumianas finalmente se rebelaram e começaram uma guerra que se extendeu por 7 anos.]

Enquanto a guerra era travada, a Deusa de Etaine se tornou deprimida com a sua falha criação e ficou fraca. Sua beleza esvaiu-se juntamente com seu poder. Tirando vantagem da situação, os Dumianas acabaram com a vida da deusa com uma perfurante espada.


Assim que ela morreu, sua atormentada alma rompeu-se e foi despedaçada em duas partes.

Por sua morte, a terra tremeu e o céu escureceu enquanto as formas de vida através do mundo de Shaiya foram rápidamente devoradas para dentro do solo como que para limpar os pecados que seus habitantes haviam cometido.

A maioria dos habitantes da terra de Teos Eperios foi destruída. O destino permitiu que Ploton e Huistaton, dois Dumianas restantes sobrevivessem e recontruíssem as terras. Eles se esconderam nas profundezas do Monte Aspeleia e viveram felizes como amantes por anos.


Um dia, Huistaton descobriu que ela estava grávida. Sozinha nesse mundo, assustada, confusa sobre o que fazer, Ploton reagiu cruélmente e optou por tomarem caminhos separados. Ploton migrou para o norte enquanto Huistaton migrou para o sul.

No sul, Huistaton viveu na solidão e deu a luz à um saudável filho. Quase como se ela estivesse resistindo até que seu filho pudesse defender-se sozinho, ela morreu misteriósamente quando ele atingiu à maturidade. O fogo de sua cremação durou 100 anos, encorajado sómente pelos ressentimentos e ódio dirigidos a Ploton. Mesmo que sendo cremada, para poupar seu filho da angústia de viver sozinho, a alma maternal de Huistaton criou uma jovem moça de seu cadáver cinza para dividir uma vida com seu filho. Eles se tornaram os ancestrais da raça Vail, mas ainda carregaram muito dos ressitimentos do passado.

Quanto a Ploton, sua vida permaneceu assombrada pelas ações tomadas pelos Dumianas com relação à Deusa de Etaine, assim como suas próprias ações de abandonar o amor de sua vida. Em sua solidão, ele esculpiu uma estátua à imagem de Huistaton em uma árvore. Um dia, o manequim de madeira se tornou uma mulher vivente à semelhança de Huistaton. Infundido com o sangue da Deusa feito de terra e Pluton, eles se tornaram os fundadores da raça dos Elfos.


Por quinhetos anos, as duas raças: Vail e Elfos viveram separadamente, sem saberem da existência do outro. Assim que suas raças se desenvolveram e cresceram, eles expandiram seus reinos, entrando em contato um com o outro. Os encontros nunca eram cordiais. Os Vail pressionavam pelo norte enquanto os Elfos pressionavam pelo sul. Muitas batalhas perdidas e ganhas em ambos os lados, mas nenhum dos dois podia ]

Assim, quanto a Etaine (uma vez a Deusa de Etaine e agora a Deusa de Shaiya), o seu corpo desapareceu com a sua morte, mas a sua alma permaneceu dividida pela metade. A divisão de sua alma causou acontecimentos sobrenaturais que despertaram ocasionais eclipses. Quando um eclipse acontecia, o mundo tremia vigorosamente; a terra fendeu ferozmente, e começou uma tempestade monstruosa. O mundo de Shaiya praticamente atingiu o limite, e a guerra entre os Elfos e os Vail momentaneamente parou, temendo o poder da deusa.

Em um dos eclipses, entre os dois oceanos, uma grande ilha de Etos de repente apareceu e surgiu no mundo de Shaiya. Os habitantes de Etos eram da raça humana e vieram da dimensão de Gaia. Passados 200 anos, a população humana prosperou e foram forçados a migrar para a ilha principal de Teos. Eles rápidamente encontraram os Elfos e formaram a Alliance of Light.


Naquele mesmo eclipse, nas terras do sul onde os Vail viviam, a terra fendeu e abriu, e os Nordein que uma vez foram abandonados e viveram na solidão do mundo subterrâneo, vieram do submundo com uma evoluída, maior e mais poderosa forma: os Detheaters. Arrogantes, agressivos, e primeiramente sem obstáculos, em vingança de seu confinamento, eles travaram uma guerra contra ambos a aliança dos humanos e elfos e contra os Vail. Quando eles se viram próximos à derrota nas mãos da aliança humano-élfica, os Deatheaters foram salvos pelos Vail que aspiravam criar uma força contrária à Alliance of Light, criando assim a Union of Fury.F.P.Wikepédia.Tradução via Ferramentas de Tradução.

Um comentário:

Dabilie Robyn disse...

sou apaixonada pela deusa de Shaiya *--*