contos sol e lua

contos sol e lua

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Os mistérios filosóficos.

Oração, Filosofia, Espiritualidade - Angeosofia.com. Diz-se que o belo é o esplendor do verdadeiro. Ora, a beleza moral é a bondade. É belo ser bom. Para ser bom com inteligência, é preciso ser justo. Para ser justo, é preciso agir com razão. Para agir com razão, é preciso ter a ciência da realidade. Para ter a ciência da realidade, é preciso ter consciência da verdade. Para ter consciência da verdade, é preciso ter uma noção exata do ser. O ser, a verdade, a razão e a justiça são os objetos comuns das buscas da ciência e das aspirações da fé. A concepção de um poder supremo, real ou hipotético, transforma a justiça em Providência, e a noção divina, por esse ponto de vista, torna-se acessível à própria ciência. A ciência estuda o ser em suas manifestações parciais, a fé o supõe, ou melhor, o admite a priori em sua generalidade. A ciência busca a verdade em todas as coisas, a fé relaciona todas as coisas a uma verdade universal e absoluta. A ciência verifica realidades no detalhe, a fé explica-as por uma realidade de conjunto que a ciência não pode verificar, mas que a própria existência dos detalhes parece forçá-la a reconhecer e a admitir. A ciência submete as razões das pessoas e das coisas à razão matemática e universal; a fé procura, ou melhor, supõe nas próprias matemáticas e acima das matemáticas uma razão inteligente e absoluta. A ciência demonstra a justiça pela justiça; a fé dá justeza absoluta à justiça, subordinando-a à Providência. Vê-se aqui tudo o que a fé empresta à ciência e tudo o que a ciência, por sua vez, deve à fé. Sem a fé, a ciência está circunscrita por uma dúvida absoluta e encontra-se eternamente estacionada no empirismo arriscado a um ceticismo raciocinador; sem a ciência, a fé constrói suas hipóteses ao acaso e só pode prejulgar cegamente as causas dos efeitos que ignora. A grande corrente que reúne ciência e fé é a analogia. A ciência está forçada a respeitar uma crença cujas hipóteses são análogas às verdades demonstradas. A fé, que atribui tudo a Deus, está forçada a admitir a ciência como uma revelação natural que, pela manifestação parcial das leis da razão eterna, dá uma escala de proporções a todas as aspirações e a todos os ímpetos da alma no domínio do desconhecido. É somente a fé, portanto, que pode dar uma solução aos mistérios da ciência e é, em contrapartida, somente a ciência que demonstra a razão de ser dos mistérios da fé. Fora da união e do concurso dessas duas forças vivas da inteligência, não há para a ciência senão ceticismo e desespero, para a fé, temeridade e fanatismo. Se a fé insulta a ciência, blasfema; se a ciência desconhece a fé, abdica. Agora, escutemo-las falar de comum acordo. - O Ser está em todos os lugares, diz a ciência. É múltiplo e variável em suas formas, único em sua essência e imutável em suas leis. O relativo demonstra a existência do absoluto. A inteligência existe no ser. A inteligência anima e modifica a matéria. - A inteligência está em todos os lugares, diz a fé. Em nenhum lugar a vida é fatal, uma vez que está regulada. A regra é a expressão de uma sabedoria suprema. O absoluto em inteligência, o regulador supremo das formas, o ideal vivo dos espíritos é Deus. - Em sua identidade com a idéia, o ser é a verdade, diz a ciência. - Em sua identidade com o ideal, a verdade é Deus, retorque a fé. - Em sua identidade com minhas demonstrações, o ser é a realidade, diz a ciência. - Em sua identidade com minhas legítimas aspirações, a realidade é meu dogma, diz a fé. - Na sua identidade com o verbo, o ser é a razão, diz a ciência. - Na sua identidade com o espírito de caridade, a mais elevada razão é minha obediência, diz a fé. - Em sua identidade com o motivo dos atos racionais, o ser é a justiça, diz a ciência. - Em sua identidade com o princípio de caridade, a justiça é a Providência, responde a fé. Acordo sublime de todas as certezas com todas as esperanças, do absoluto em inteligência e do absoluto em amor. O Espírito Santo, o espírito de caridade deve assim tudo conciliar e tudo transformar em sua própria luz. Não é ele o espírito de inteligência, o espírito de ciência, o espírito de conselho, o espírito de força? Ele deve vir, diz a liturgia católica, e isso será como uma criação nova, e ele mudará a face da terra. "Rir da filosofia já é filosofar", disse Pascal ao fazer alusão a esta filosofia cética e duvidosa que não reconhece a fé. E, se existisse uma fé que pisoteasse a ciência, não diríamos que rir de semelhante fé seria dar provas de verdadeira religião, que é toda caridade, que não tolera o riso, mas ter-se-ia razão em censurar esse amor pela ignorância e em dizer a essa fé temerária: Já que desconheces tua irmã, não és a filha de Deus! Verdade, realidade, razão, justiça, providência, tais são os cinco raios da estrela flamejante no centro da qual a ciência escreverá a palavra Ser, a que a fé acrescentará o nome inefável de Deus. A chave dos grandes mistérios. Por: Eliphas Levi.

Oração do dia: Minha Prece Favorita.

Esta oração, é o epílogo do Livro A Chave dos Grandes Mistérios do grande ocultista Eliphas Levi. Um texto de profunda inspiração espiritual: Graças vos sejam dadas, meu Deus, porque vós me chamasses a essa admirável luz. Sois a inteligência suprema e a vida absoluta desses números e dessas forças que vos obedecem para povoar o infinito com uma criação inesgotável. As matemáticas vos provam, as harmonias vos cantam, as formas passam e vos adoram! Abraão conheceu-vos, Hermes adivinhou-vos, Pitágoras calculou vossos movimentos, Platão aspirava a vós em tolos os sonhos de seu gênio; mas um único iniciador, um único sábio vos revelou aos filhos da terra, um único pôde dizer de vós: Meu pai e eu somos apenas um; glória seja, pois, para ele, pois que toda sua glória é para vós! Pai, vós o sabeis, aquele que escreve estas linhas muito lutou e sofreu; suportou a pobreza, a calúnia, a proscrição odiosa, a prisão, o abandono dos que amava, e, no entanto, nunca se julgou infeliz, porque restava-lhe por consolo a verdade e a justiça! Vós sois o único santo, Deus dos corações verdadeiros e das almas justas, e sabeis se algum dia acreditei estar puro diante de vós; fui como todos os homens o joguete das paixões humanas, depois venci-as, ou antes, venceste-as em mim, e destes-me, para que aí repousasse, a paz profunda dos que buscam e ambicionam a vós somente. Amo a humanidade porque os homens, enquanto não são insensatos, nunca são maus a não ser por erro ou fraqueza. Amam naturalmente o bem e é por esse amor, que lhes destes como um sustentáculo em meio a suas provações, que devem ser reconduzidos cedo ou tarde ao culto da justiça pelo amor da verdade. Que meus livros vão agora onde Vossa Providência os enviar. Se contiverem as palavras de vossa sabedoria, serão mais fortes que o esquecimento, se ao contrário contiverem apenas erros, sei ao menos que meu amor pela justiça e pela verdade lhes sobreviverá, e que assim a imortalidade não pode deixar de recolher as aspirações e os votos de minha alma que criastes imortal!

O Templo do Futuro. Eliphas Levi.

1. O Futuro. Os animais continuarão a se devorar mutuamente até o final. Só o homem é imortal. E quando houver na humanidade mais seres humanos que animais, começará a associação dos homens livres. E Deus bendirá o seu povo e lhe dirá: Cresça e se multiplique. Mas antes desta época, os formigueiros do norte devem renovar a terra uma segunda vez; porque a forma da nossa sociedade já está ultrapassada, e sua alma deve passar a povos novos. Então tudo se constituirá segundo a lei da unidade. Foi dito aos pobres: “Destruam os ricos”. E aos escravos: “Degolem os tiranos, porque os ricos e os tiranos devem perecer”. Mas os que roubam os ricos se tornam ricos por sua vez. Os escravos se tornam tiranos, e encontram a sua punição na sua vitória. O espírito da liberdade salva os homens que têm inteligência e amor ao sacrificá-los, e prepara uma armadilha para os homens egoístas, dedicados à rapina. Ladrões contra ladrões, assassinos contra assassinos; que eles ataquem uns aos outros, que batam, que degolem-se e se destrocem uns aos outros. Os seres humanos do futuro estão no campo de batalha como os soldados de Gideão [3]; eles destroem suas vidas como cântaros de barro, e erguem em suas mãos tochas acesas, e fazem soar as trombetas. Eles não usarão a espada. A sua palavra será suficiente, e os [inimigos] midianitas matarão uns aos outros. Anjos da guerra e da morte, voem sobre os terrenos tomados pelo fogo e anunciem à terra a queda da grande Babilônia! Aqui está a solução do problema dos nomes, e a demonstração eterna da unidade. Um povo, um Deus, uma Lei, um rei. E Deus será o povo, e a Lei será Deus, e o rei será a lei. A justiça e a paz reinarão entre todos; e ambas terão por intérprete, ajudado por um conselho de sábios, um servidor do povo, guardião dos tesouros do Estado. Os tesouros do Estado serão a sabedoria e o amor. O ouro será usado apenas para fazer estátuas em homenagem aos grandes homens. O rei será um homem condenado a sofrer, que se sacrificará por todos. Ele desejará ser libertado deste peso, e não terá outra ambição além do amor dos seres humanos. A palavra do rei será a palavra da lei; e ela será justa como a balança, e cortante como a espada. Porque o rei será o representante do povo, e só povo será o monarca e o supremo pontífice. O homem viverá e reinará imortal; e este será o homem-deus, o povo-Cristo, o Verbo encarnado. E o Cristo, transformado em povo, colocará o mundo nas mãos do seu pai, e sentará à direita de Deus. E o seu reino não terá fim. Amém. 2. O Templo. Quando o espírito for revelado, toda a trindade se revelará em sua glória. A humanidade terá a graça da infância, o vigor da juventude e a sabedoria da idade madura. Todas as formas que revestiram sucessivamente o pensamento divino renascerão perfeitas e imortais. Todos os esboços produzidos pela arte das nações ao longo do tempo se reunirão e formarão a imagem completa de Deus. Jerusalém reconstruirá o templo de Jeová seguindo o modelo profetizado por Ezequiel; e o Cristo, novo e eterno Salomão, nele cantará - entre paredes de cedro e cipreste - as suas núpcias com a esposa do cântico. Mas Jeová terá deixado a um lado o seu raio, para bendizer com as duas mãos o noivo e a noiva; ele aparecerá sorridente entre os dois esposos, e estará feliz por ser chamado de pai. No entanto a poesia do Oriente, com suas lembranças mágicas, o chamará ainda de Brahma e de Júpiter. A Índia ensinará em nossos climas encantados as fábulas maravilhosas de Vishnu, e nos mostrará, diante do rosto ainda ensangüentado de nosso amado Cristo, a tríplice coroa de pérolas da Trimurti [4] mística. Vênus, purificada, sob o véu de Maria, já não chorará por Adônis; o Esposo ressuscitou para não mais morrer, e o javali infernal [5] encontrou a morte em sua vitória passageira. Reergam-se, templos de Delfos e de Éfeso; o Deus da luz e das artes tornou-se o Deus do mundo, e o Verbo de Deus bem pode ser chamado pelo nome de Apolo! Diana [a lua ] já não reinará como viúva nos campos solitários da noite. A sua crescente prateada está agora aos pés do seu esposo. Mas Diana não é vencida por Vênus. Seu Endimião acaba de se despertar, e a virgindade se orgulha porque em breve será mãe. Sai da tua tumba, ó Fídias, e reconcilia-te com a destruição de teu Júpiter [6]; é agora que tu terás, como filho, um Deus. Ó Roma! Que os teus templos se ergam ao lado de tuas basílicas; que sejas ainda a rainha do mundo e o panteão das nações; que Virgílio seja coroado no Capitólio pela mão de São Pedro, e que o Olimpo e o Carmelo unam as suas divindades sob o pincel da Rafael. Transfigurem-se, antigas catedrais de nossos pais; lancem, até as nuvens, suas flechas buriladas e vivas, que a pedra revela em figuras animadas; as sombrias lendas do Norte tornaram-se alegres graças aos apólogos dourados e maravilhosos do Alcorão. Que o Oriente adore Jesus Cristo em suas mesquitas, e que, sob os minaretes de uma nova Santa Sofia, a cruz se eleve em meio à crescente! [7] Que Maomé liberte a mulher, para dar ao verdadeiro crente a mulher ideal com que ele tanto sonha; e que Cristo se liberte de sua longa solidão entre os anjos de Maomé. Toda a terra, revestida dos ornamentos que as diversas artes produziram, será um templo magnífico, do qual o ser humano será o eterno sacerdote. Tudo aquilo que foi verdadeiro, tudo aquilo que foi belo, tudo aquilo que foi agradável, nos séculos anteriores, reviverá gloriosamente nesta transfiguração do mundo. E a forma será inseparável da ideia, assim como o corpo será, um dia, inseparável da alma. Quando a alma tiver desenvolvido todo o seu poder, ela fará um corpo à sua imagem. [8] Este será o reino do céu sobre a terra; e os corpos serão os templos das almas, assim como o universo, regenerado, será o templo de Deus. E os corpos e as almas, e a forma e o pensamento, e o universo inteiro, serão Deus.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

seja o cisne.

"Talvez o maior desafio da vida moderna seja sermos nós mesmos em um mundo que insiste em modelar nosso jeito de ser. Querem que deixemos de ser como somos e passemos a ser o que os outros esperam que sejamos. Aliás, a própria palavra “pessoa” já é um convite para que você deixe de ser você. “Pessoa” vem de “Persona”, que significa “máscara”. É isso mesmo: coloque a máscara e vá para o trabalho. Ou vá para a vida com a sua máscara. Talvez o sentido do elogio: “Fulano é uma boa pessoa”, signifique na verdade: “Ele sabe usar muito bem a sua máscara social”. Mas qual o preço de ser bem adaptado? O número de depressivos, alcoólatras e suicidas aumenta assustadoramente. Doenças de fundo psicológico como síndrome do pânico e síndrome do lazer não param de surgir. Dizer-se estressado virou lugar-comum nas conversas entre amigos e familiares. Esse é o preço. Mas pior que isso é a terrível sensação de inadequação que parece perseguir a maioria das pessoas. Aquele sentimento cristalino de que não estamos vivendo de acordo com a nossa vocação. E qual o grande modelo da sociedade moderna? Querer ser o que a maioria finge que é. Querer viver fazendo o que a maioria faz. É essa a cruel angústia do nosso tempo: o medo de ser ultrapassado em uma corrida que define quem é melhor, baseada em parâmetros que, no final da pista, não levam as pessoas a serem felizes. Quanta gente nós não conhecemos, que vive correndo atrás de metas sem conseguir olhar para dentro da sua alma e se perguntar onde exatamente deseja chegar ao final da corrida? Basta voltar os olhos para o passado para ver as represálias sofridas por quem ousou sair dos trilhos, e, mais que isso, despertou nas pessoas o desejo de serem elas mesmas. Veja o que aconteceu a John Lennon, Abraham Lincoln, Martin Luther King, Isaac Rabin… É muito perigoso não ser adaptado! Essa mesma sociedade que nos engessa com suas regras de conduta, luta intensamente para fazer da educação um processo de produção em massa. A maioria das nossas escolas trabalha para formar estudantes capazes de passar no vestibular. São poucos os educadores que se perguntam se estão formando pessoas para assumirem a sua vocação e a sua forma de ser. Quantos casos de genialidade que foram excluídos das escolas porque estavam além do que o sistema de educação poderia suportar. Conta-se que um professor de Albert Einstein chamou seu pai para dizer que o filho nunca daria para nada, porque não conseguia se adaptar. Os Beatles foram recusados pela gravadora Deca! O livro “Fernão Capelo Gaivota” foi recusado por 13 editoras! O projeto da Disney World foi recusado por 67 bancos! Os gerentes diziam que a idéia de cobrar um único ingresso na entrada do parque não daria lucros. A lista de pessoas que precisaram passar por cima da rejeição porque não se adaptavam ao esquema pré-existente é infinita. A sociedade nos catequiza para que sejamos mais uma peça na engrenagem e quem não se moldar para ocupar o espaço que lhe cabe será impiedosamente criticado. Os próprios departamentos de treinamento da maioria das empresas fazem isso. Não percebem que treinamento é coisa para cachorros, macacos, elefantes. Seres humanos não deveriam ser treinados, e sim estimulados a dar o melhor de si em tudo o que fazem. Resultado: a maioria das pessoas se sente o patinho feio e imagina que todo o mundo se sente o cisne. Triste ilusão: quase todo mundo se sente um patinho feio também. Ainda há tempo! Nunca é tarde para se descobrir único. Nunca é tarde para descobrir que não existe nem nunca existirá ninguém igual a você. E ao invés de se tornar mais um patinho, escolha assumir sua condição inalienável de cisne!" Roberto Shinyashiki.

Elementais Sagrados.. Rowena Arnehoy Seneween

Os elementos básicos da criação são: Terra, Ar, Fogo e Água. Os reinos elementais são regidos pelas leis de Deus que, formam uma tríade sagrada, onde os espíritos da natureza, manifestam-se sob formas e funções específicas para a harmonia e a manutenção de todo o Planeta. O Reino Elemental canaliza a energia através do pensamento, mantendo um determinado padrão vibracional. Os Elementais captam todas as vibrações dos seres humanos, mas somente aqueles que possuem o coração puro conseguem entrar em contato com esses seres maravilhosos. Os Elementais sagrados são representantes dos elementos básicos da criação e, como tal, fundamentais para o equilíbrio de toda a existência. O Reino Elemental canaliza a energia através do pensamento, mantendo um determinado padrão vibracional. Os Elementais captam todas as vibrações dos seres humanos, mas somente aqueles que possuem o coração puro conseguem entrar em contato com esses seres maravilhosos. Os Elementais sagrados são representantes dos elementos básicos da criação e, como tal, fundamentais para o equilíbrio de toda a existência. Somos a terra, representada pelo estômago que tem a função de digerir alimentos sólidos provenientes do solo. Somos o ar, quando respiramos e assim o inalamos através dos pulmões, o combustível necessário para que a máquina, chamada corpo físico, se movimente. Somos o fogo, quando dançamos, corremos e nos apaixonamos, pois o coração é o símbolo dessa energia, que movimenta o sangue pelas artérias do nosso corpo. Somos quase 90% de água circulante em todo o organismo, além de nascermos através desse elemento. E somos também o éter espiritual da quintessência Elemental. Em cosmologia, quintessência é uma forma de energia que se postula – pretende - para explicar as observações do universo em expansão acelerada. Elemento Terra É através do equilíbrio de todas as forças, tanto acima como abaixo, que materializamos nossos sonhos. De nada adianta possuir o intelecto mental, a energia e a coragem da realização, o equilíbrio das emoções, se não estivermos centrados no momento presente, ou seja, o aqui e agora. Elemento Ar A sintonia com os elementais do ar confere acesso à inspiração e às faculdades mentais. Ajuda a coordenar e verbalizar as nossas percepções mais sutis. Estimula a liberdade e o equilíbrio mental. Elemento Fogo O fogo é considerado o mais intenso dos elementais, responsável pelas transições, mudanças, determinação, assim como, a guerra, vingança, luxúria, paixão. Sua força luminosa indica o caminho a ser seguido por aqueles que praticam os ensinamentos do universo. O fogo é a chama que acende dentro de nós o amor, faz brilhar nossa aura e nossos olhos, revelando a força de nosso espírito, e nos conduzindo à sabedoria interior. Elemento Água A água desperta e estimula a natureza emotiva, realçando nossa intuição e a nossa sensibilidade, além das energias da criação e do nascimento, bem como a premonição e imaginação criativa. O excesso do elemento água, nos torna muito passionais, além de gerar exagerada sensualidade, medo e isolamento. E finalmente, o etéreo, o éter – a quintessência – que é unificado nessa existência física, dinamizado e representado pela união de todos os elementos. “Toda natureza invisível se movimenta através da imaginação. Se a imaginação fosse forte o suficiente, nada seria impossível, porque ela é a origem de toda magia, de toda ação através da qual o invisível, de um ou outro modo, deixa seu rastro no visível. A energia da verdadeira imaginação pode transformar nossos corpos, e até influenciar no paraíso...”

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

TEORIA DA VONTADE. Eliphas Levi.

A vida humana e suas dificuldades incontáveis têm por finalidade, na ordem da sabedoria eterna, a educação da vontade do homem. A dignidade do homem consiste em fazer o que quer e em querer o bem, em conformidade com a ciência do verdadeiro. O bem conforme ao verdadeiro é o justo. A justiça é a prática da razão. A razão é o verbo da realidade. A realidade é a ciência da verdade. A verdade é a história idêntica ao ser. O homem chega à idéia absoluta do ser por duas vias, a experiência e a hipótese. A hipótese é provável quando é solicitada pelos ensinamentos da experiência; é improvável ou absurda quando é rejeitada por esse ensinamento. A experiência é a ciência, e a hipótese é a fé. A verdadeira ciência admite necessariamente a fé; a verdadeira fé conta necessariamente com a ciência. Pascal blasfemava contra a ciência quando disse que, pela razão, o homem não pode chegar ao conhecimento de nenhuma verdade. Assim, Pascal morreu louco. Mas Voltaire não blasfemava menos contra a ciência, quando declarava absurda toda hipótese da fé e admitia por regra da razão apenas o testemunho dos sentidos. Assim, as últimas palavras de Voltaire foram esta fórmula contraditória: Deus e a Liberdade Deus, isto é, um mestre supremo: o que exclui toda idéia de liberdade, como a entendia a escola de Voltaire. E a liberdade, isto é, uma independência absoluta de todo mestre; o que exclui toda idéia de Deus. A palavra DEUS exprime a personificação suprema da lei e, por conseguinte, do dever; e, se pela palavra LIBERDADE se quiser entender conosco O DIREITO DE FAZER O DEVER, tomaremos, de nossa parte, por divisa e repetiremos sem contradição e sem erro: Deus e a Liberdade Como só há liberdade para o homem na ordem que resulta do verdadeiro e do bem, pode-se dizer que a conquista da liberdade é o grande trabalho da alma humana. O homem, libertando-se das más paixões e de sua servidão, de certo modo cria-se a si próprio uma segunda vez. A natureza fizera-o vivo e sofredor, ele se faz feliz e imortal; torna-se, assim, o representante da divindade na terra e exerce relativamente sua onipotência. AXIOMA I Nada resiste à vontade do homem quando ele sabe o verdadeiro e quer o bem. AXIOMA II Querer o mal é querer a morte. Uma vontade perversa é um começo de suicídio. AXIOMA III Querer o bem com violência é querer o mal; pois a violência produz a desordem, e a desordem produz o mal. AXIOMA IV Pode-se e deve-se aceitar o mal como meio para o bem; mas é preciso nunca querê-lo ou fazê-lo, do contrário destruir-se-ia com uma mão o que se edificasse com a outra. A boa fé nunca justifica os maus meios; corrige-os quando são suportados e condena-os quando deles se lança mão. AXIOMA V Para se ter direito de possuir, sempre é preciso querer pacientemente e por muito tempo. AXIOMA VI Passar a vida querendo o que é impossível possuir, sempre é abdicar da vida e aceitar a eternidade da morte. AXIOMA VII Quanto mais a vontade supera obstáculos, mais se fortalece. É por isso que Cristo glorificou a pobreza e a dor. AXIOMA VIII Quando a vontade é consagrada ao absurdo, é reprovada pela eterna razão. AXIOMA IX A vontade do homem justo é a vontade do próprio Deus, e é a lei da natureza. AXIOMA X É pela vontade que a inteligência vê. Se a, vontade é sã, a visão é justa. Deus disse: Que seja a luz! e a luz é; a vontade disse: Que o mundo seja como eu o quero ver! e a inteligência o vê como a vontade quis. É o que significa a expressão assim seja, que confirma os atos de fé. AXIOMA XI Quando alguém cria fantasmas, põe no mundo vampiros, e será preciso alimentar esses filhos de um pesadelo voluntário com seu sangue, sua vida, sua inteligência e sua razão, sem nunca saciá-los. AXIOMA XII Afirmar e querer o que deve ser é criar; afirmar e querer o que não deve ser é destruir. AXIOMA XIII A luz é um fogo elétrico colocado pela natureza a serviço da vontade: ilumina os que dela sabem servir-se, queima os que dela abusam. AXIOMA XIV O império do mundo é o império da luz. AXIOMA XV As grandes inteligências cuja vontade equilibra-se mal assemelham-se aos cometas, que são sóis abortados. AXIOMA XVI Nada fazer é tão funesto quanto fazer o mal, mas é mais covarde. O mais imperdoável dos pecados mortais é a inércia. AXIOMA XVII Sofrer é trabalhar. Uma grande dor sofrida é um progresso realizado. Os que sofrem muito vivem mais do que os que não sofrem. AXIOMA XVIII A morte voluntária por abnegação não é um suicídio; é a apoteose da vontade. AXIOMA XIX O medo é apenas uma preguiça da vontade, e é por isso que a opinião desencoraja os covardes. AXIOMA XX Consegui não temer o leão, e o leão vos temerá. Dizei à dor: Quero que tu sejas um prazer, e ela se tornará até mais do que um prazer, uma felicidade. AXIOMA XXI Uma corrente de ferro é mais fácil de quebrar que uma corrente de flores. AXIOMA XXII Antes de declarar um homem feliz ou infeliz, sabei como o fez a direção de sua vontade: Tibério morria todos os dias em Capri, enquanto Jesus provava sua imortalidade e sua divindade no Calvário e na cruz.

A Palmeira do deserto. ELIPHAS LÉVI.

A palmeira do deserto. Eles chegaram num deserto onde não havia nem animais vivos, nem mananciais, nem fontes, e como lá procurassem sombra, só encontraram uma única palmeira. Maria desceu de sua montaria e veio sentar-se à sombra dessa palmeira, e vendo que ela estava carregada de frutos disse a José: - Gostaria de saborear essas frutas, pois o calor é demais. José lhe respondeu: - A árvore é muito alta e já não sou jovem. Jesus disse então à palmeira: Inclina-te e apresenta teus frutos a minha mãe. A palmeira então inclinou-se e veio apresentar seus frutos à mão de Maria, que ao colhê-los ofereceu-os a Jesus e a José. Em seguida, como ela continuasse curvada sobre seu tronco e inclinada, Jesus disse-lhe: Ergue-te! E a palmeira se ergueu. Jesus disse-lhe: - Dá-nos água da nascente oculta que alimenta tuas raízes. E imediatamente, de dentro das raízes da palmeira, uma fonte límpida jorrou. E Jesus disse ainda à palmeira: - Tu não morrerás e frutificarás novamente no jardim de meu pai. Porque todas as criaturas foram dadas aos homens para seu uso, e eles devem submeter toda a natureza pelo trabalho; então dirão às montanhas: Aplanai-vos, e as montanhas se aplanarão; e às árvores: Dainos vossos frutos, e as árvores se inclinarão; e às fontes: Subi e jorrai da terra, e as fontes subirão e jorrarão; e os filhos da mulher consolarão sua mãe e lhe dirão: Descansa e te refresca, porque é para te servir que a natureza nos obedece. Um anjo então apareceu no cimo da palmeira; apanhou um galho e retomou seu vôo em direção ao céu para replantar a palmeira do deserto nos campos do futuro, que será o reino de Deus. Essa terra, onde o gênio da fraternidade completará os milagres do trabalho, onde a mãe não mais será escrava de seus filhos, onde os justos não mais serão exilados, onde a verdade terá uma pátria; A terra então não mais será uma madrasta, porque será livre, e um antagonismo ímpio não mais a forçará a ser estéril. O homem então disporá da onipotência de Deus, e falará à natureza e a natureza obedecerá. É o que quis dizer Tiago, o Menor, apóstolo do santo Evangelho, com essa lenda da palmeira.

O GRANDE SECRETO. Eliphas Levi.

Sabedoria, moralidade, virtude: palavras respeitáveis, porém vagas, sobre as quais se disputa desde há muitos séculos, porém sem haver conseguido entende-las. Queria ser sábio, mas terei eu a certeza de minha sabedoria, enquanto acredite que os loucos são mais felizes e até mais alegres que eu? É preciso ter bons costumes, porém todos somos um pouco de crianças: a moralidade nos adormece. Falamos do que nos interessa e pensamos em outra coisa. Excelente coisa é a virtude: seu nome quer dizer força, poder. O mundo subsiste pela virtude de Deus. Mas, em que consiste para nós a virtude? Será uma virtude para enfraquecer a cabeça ou suavizar o rosto? Chamaremos virtude a simplicidade do homem de bem, que se deixa despojar pelos velhacos? Será virtude abster-se no temor de abusar? Que pensaríamos de um homem que não andasse por medo de quebrar a perna? A virtude, em todas as coisas, é o oposto da nulidade, do estupor e da impotência. A virtude supõe a ação; pois se ordinariamente opormos a virtude, as paixões, é para demonstrar que ela nunca é passiva. A virtude não é só a força, é também a razão diretora da força. É o poder equilibrante da vida. O grande segredo da virtude, da virtualidade e da vida, seja temporal, seja eterna, pode formular-se assim: É a arte de balancear as forças para equilibrar o movimento. O equilíbrio que se necessita alcançar, não é o que produz a imobilidade, mas sim o que realiza o movimento. Pois a imobilidade é morte e o movimento é vida. Este equilíbrio motor é o da própria Natureza. A Natureza, equilibrando as forças fatais, produz o mal físico e a destruição aparente do homem mal equilibrado. O homem se libera dos males da Natureza, sabendo subtrair a fatalidade das circunstâncias, pelo emprego inteligente de sua liberdade. Empregamos aqui a palavra fatalidade, porque as forças imprevistas e incompreensíveis para o homem, necessariamente o parecem fatais, o que não indica que realmente o sejam. A Natureza previu a conservação dos animais dotados de instintos, porém também dispõe tudo para que o homem imprudente pereça. Os animais vivem, por assim dizer, por si mesmos e sem esforço. Só o homem deve aprender a viver. A ciência da vida é a ciência do equilíbrio moral. Conciliar o saber e a religião, a razão e o sentimento, a energia e a doçura é o âmago desse equilíbrio. A verdadeira força invencível é a força sem violência. Os homens violentos são homens fracos e imprudentes, cujos esforços se voltam sempre contra eles. O afeto violento se assemelha ao ódio e quase à aversão. A cólera faz que a pessoa se entregue cegamente a seus inimigos. Os heróis que descreve o poeta grego Homero, quando combatem, tem o cuidado de insultarem-se para entrar em furor reciprocamente, sabendo-se de antemão, com todas as probabilidades, que o mais furioso dos dois será vencido. O fogoso Aquiles estava predestinado a perecer desgraçadamente. Era o mais altivo e valoroso dos gregos e só causava desastres a seus concidadãos. Ele é que faz a tomada de Tróia e o prudente e paciente Ulisses, que sabe sempre conter-se e só fere com golpe seguro. Aquiles é a paixão e Ulisses a virtude, e é deste ponto de vista que devemos tratar de compreender o alto alcance filosófico e moral dos poemas de Homero. Não há dúvida que o autor destes poemas era um iniciado de primeira ordem, pois o Grande Arcano da Alta Magia prática está inteiro na Odisséia. O Grande Arcano Mágico, o Arcano único e incomunicável tem por objeto colocar, por assim dizer, o poder divino a serviço da vontade do homem. Para chegar a realização deste Arcano é preciso SABER o que deve fazer, QUERER o exato, OUSAR no que deve e CALAR com discernimento. O Ulisses de Homero tem, contra si, os deuses, os elementos, os ciclopes, as sereias, Circe, etc., por assim dizer, todas as dificuldades e todos os perigos da vida. Seu palácio é invadido, sua mulher é assediada, seus bens são saqueados, sua morte é decidida, perde seus companheiros, seus navios são afundados; enfim, acha-se só em sua luta contra a noite e o mal. E assim, só, aplaca os deuses, escapa do mal, cega o ciclope, engana as sereias, domina Circe, recupera seu palácio, libera sua mulher, mata aqueles que queriam mata-lo, e tudo, porque queria voltar a ver Ítaca e a Penélope, porque sabia escapar sempre do perigo, porque se atrevia com decisão e porque calava sempre que fora conveniente não falar. Porém, dirão contrariados os amantes dos contos azuis, isto não é magia. Não existem talismãs, ervas e raízes que façam operar prodígios? Não há fórmulas misteriosas que abram as portas fechadas e façam aparecer os espíritos? Falaremos disto em outra ocasião com comentários sobre a Odisséia. Se haveis lido minhas obras anteriores, sabeis então que reconheço a eficácia relativa das fórmulas, das ervas, e dos talismãs. Porém estes são pequenos meios que se enlaçam aos pequenos mistérios. Falo agora das grandes forças morais e não dos instrumentos materiais. As fórmulas pertencem aos ritos da iniciação; os talismãs são auxiliares magnéticos; as ervas correspondem à medicina oculta, e o próprio Homero não as desprezava. O Moly, o Lotho e o Nepenthes têm seu lugar nestes poemas, porém são ornamentos acessórios. A taça de Circe nada pode sobre Ulisses, que conhece seus efeitos funestos e soube engana-la sobre a bebida. O iniciado em alta ciência dos magos, nada tem que temer os feiticeiros. As pessoas que recorrem a magia cerimonial e vão consultar adivinhos, se assemelham aos que, multiplicando a prática de devoção, querem ou esperam suprir com isso a verdadeira religião. Estas pessoas nunca estarão satisfeitas de vossos sábios conselhos. Todas escondem um segredo que é bem fácil de adivinhar, e que poderia expressar-se assim: "Tenho uma paixão que a razão condena e que anteponho a razão; é por isso que venho consultar o oráculo do delírio, afim de que me faça esperar, que me ajude a enganar minha consciência e me dê a paz do coração". Vão assim beber em uma fonte enganosa, que depois de satisfazer a sede, a aumenta cada vez mais. O charlatão receita oráculos obscuros e a gente encontra neles o que quer encontrar e volta a buscar mais esclarecimentos. Retorna no dia seguinte, volta sempre, e é desse modo que os charlatões fazem fortuna. Os Gnósticos basilidianos diziam que Sofia, a sabedoria natural do homem, havendo-se enamorado de si mesma, como Narciso da mitologia clássica, desviou a direção de seu princípio e se lançou fora do círculo traçado pela luz divina chamada pleroma. Abandonada então às trevas, fez sacrilégios para dar a luz. Porém uma hemorragia semelhante a que fala o Evangelho, a fez perder seu sangue, que ia se transformando em monstros horríveis. A mais perigosa de todas as loucuras é a da sabedoria corrompida. Os corações corrompidos envenenam toda a natureza. Para eles o esplendor dos belos dias é apenas um ofuscante tédio e todos os gozos da vida, mortos para estas almas mortas, se levantam diante delas para maldize-las, como os espectros de Ricardo III: "desespera e morre". Os grandes entusiasmos os fazem sorrir e lançar ao amor e a beleza, como para vingar-se, o desprezo insolente de Stenio e de Rollon. Não devemos cruzar os braços acusando a fatalidade; devemos lutar contra ela e vence-la. Aqueles que sucumbem nesse combate são os que não souberam ou não quiseram triunfar. Não saber é uma desculpa, porém não uma justificativa, posto que se pode aprender. "Pai, perdoai-os porque não sabem o que fazem", disse o Cristo ao expirar. Se fosse permitido não saber a oração do Salvador, haveria sido inexata e o Pai nada haveria tido que perdoa-los. Quando a gente não sabe, deve querer aprender. Enquanto não se sabe é temeroso ousar, porém sempre é bom saber calar.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

O Pai Nosso – de acordo com a versão em Aramaico.

O PAI NOSSO em aramaico transliterado Abwun d’bwashmaya Nethqadash shmakh Teytey malkuthakh Nehwey tzevyanach aykanna d’bwashmaya aph b’arha Hawylan lachma d’sunqanan yaomana. Washboqlan khaubayn (wakhtahayn) aykana daph khnan shbwoqan l’khayyabayn. Wela tahlan l’nesyuna Ela patzan min bisha. Metol kilakhie malkutha wahayla wateshbukta L’ahlam almin. Ameyn. ----------------------------------------------------------------------- O PAI NOSSO do original em aramaico Ó Fonte da Manifestação! Alento da vida! Pai-Mãe do Cosmo! Faze Tua Luz brilhar dentro de nós, para que possamos torná-la útil. Ajuda-nos a seguir nosso caminho movidos apenas pelo sentimento que emana de Ti. Que nosso eu possa estar em sintonia contigo, para que caminhemos com realeza com todos os outros seres criados. Estabelece Teu Reino de unidade agora. Que Teu desejo e os nossos sejam um só, em toda a luz, assim como em todas as formas. Dá-nos o que precisamos cada dia, em pão e compreensão. Desfaz os laços dos erros que nos prendem, assim como nós soltamos as amarras que mantemos da culpa dos outros. Não permita que a superficialidade e a aparência das coisas do mundo nos iludam. Mas liberta-nos de tudo que nos aprisiona. E não nos deixe sermos tomados pelo esquecimento de que de ti nasce a vontade que tudo governa, o poder e a força viva de todo movimento, e a melodia que tudo embeleza e de idade em idade tudo renova. Amém. O texto acima foi adaptado do livreto do estudioso Neil Douglas-Klotz.

domingo, 9 de novembro de 2014

o poder místico da coruja.

A coruja é a ave soberana da noite. Para muitos povos ela significa mistério, inteligência, sabedoria e conhecimento. Ela tem a capacidade de enxergar através da escuridão, conseguindo ver o que os outros não veem. A coruja simboliza a reflexão, o conhecimento racional e intuitivo. Na mitologia grega, Atena, a deusa da sabedoria e da guerra, tinha a coruja como símbolo. Atena ficou tão impressionada com a aparência da coruja, que a tomou como sua ave favorita. Ela é também escolhida como mascote dos escoteiros, cursos universitários de Filosofia, Pedagogia e Letras. Havia uma tradição que dizia que quem come carne de coruja, adquire seus dons de previsão e clarividências, mostrando poderes divinatórios. Enquanto todos dormem a coruja fica acordada, com os olhos arregalados, vigilante e atenta aos barulhos da noite. Por isso, representa para muitas culturas uma poderosa e profunda conhecedora do oculto. A coruja tem a particularidade de conseguir girar o pescoço, quase atingindo um ângulo de 360º, para observar algo ao seu redor, permanecendo com o resto do corpo sem o menor movimento. O que amplia seu angulo de visão, muito superior ao do ser humano. Sua grande capacidade de visão e audição as torna exímias caçadoras. Conta-se, que em uma língua nórdica antiga, ela era chamada de "Ugla", palavra que imita o som do seu canto, e que daria origem ao termo "Ugly", feio em inglês. É interessante que ao identificar um animal para símbolo disso ou daquilo, a cultura universal escolhe àqueles de aparência esquisitas. Como o sapo, símbolo da fartura e boa sorte, e a águia símbolo da transformação do ser humano. Conforme a história, diferentes civilizações adotaram estranhos animais para simbolizar a sabedoria. Como a tartaruga para os chineses e um peixe para os Celtas. No esoterismo que envolve parte da simbologia da Coruja, encontramos uma sociedade secreta chamada Bohemian Club, fundada em 1872, em São Francisco, EUA, onde os membros se reúnem periodicamente. Anualmente, a sociedade convida para um grande encontro, homens poderosos da elite, e o encontro é realizado em um grande bosque chamado Bohemian Grove, onde há uma grande pedra em forma de coruja no centro. O termo "coruja", geralmente, também é usado para referir-se ao pai ou a mãe, que ressaltam com certo exagero, as qualidades dos filhos, mas também é estendido a outros familiares como tios, avós e outros. A coruja nas mais diferentes culturas África do Sul: A coruja é a mascote do feiticeiro zulu. E no xamanismo é reverenciada por enxergar a totalidade. Argélia: A crença diz que colocar o olho direito de uma coruja na mão de uma mulher dormindo, fará com que ela conte segredos. Austrália: Os aborígenes acreditam que a coruja representa o espírito da mulher. O espírito do homem é representado pelo morcego. Babilônia: Origem do mito de Lilith, onde amuletos de coruja protegiam as mulheres durante o parto. O mito foi citado pela primeira vez no épico Gilganesh, escrito em 2000 A.C. . Lilith era uma linda jovem com pés de coruja, que denunciavam sua vida notívaga. Ela era uma vampira da curiosidade, que dava aos homens o desejado leite dos sonhos. Brasil: Matita Perê é uma velha vestida de preto, com os cabelos caídos pelo rosto. Diz a lenda, que ela tinha poderes sobrenaturais e preferia aparecer nas noites sem luar, sob a forma de uma coruja. Na tradição guarani, o espírito Nhamandu, o criador, manifestou-se na forma de coruja para criar a sabedoria. No dicionário, o adjetivo corujeiro é um elogio, e significa agradável e, o melhor, disposto a tudo. No folclore brasileiro, diz que para que os seus filhotes não fossem vítimas de predadores, ela avisava que seria fácil reconhecê-los, eles eram os "mais bonitos" da floresta. Daí o dito popular: "Toda a coruja gaba-se do seu toco", referindo-se ao ninho de seus horríveis filhotes. Assim como uma mãe elogia seus rebentos, mesmo sabendo que eles não têm nada de beleza. China: A coruja está associada ao relâmpago. Usar imagens de coruja em casa protege contra os raios. Estados Unidos: A tradição dos índios norte-americanos, diz que a coruja mora no Leste, lugar de iluminação. Assim como a humanidade teme a escuridão, a coruja enxerga o breu da noite. Onde os humanos se iludem, ela percebe com clareza, acreditavam os índios. Entre os índios americanos, a coruja tinha muito poder: Para os apaches, sonhar com ela significava a morte. Os dakotas viam a coruja como um espírito protetor. Os hopis tinham a coruja como guardiã do fogo. França: A coruja é o símbolo de Dijon, cidade francesa. Há uma escultura de coruja na Catedral de Notre Dame, e quem passa a mão esquerda nela ganhar sabedoria e felicidade. Grécia: Os gregos consideravam a noite o momento propício para o pensamento filosófico. Por sua característica noturna, era vista pelos gregos como símbolo da busca pelo conhecimento. Elas faziam seus ninhos na Acrópole, e os gregos achavam que sua visão noturna vinha de uma luz mágica. Ela era símbolo de Atenas, ao lado dos exércitos, na guerra. As antigas moedas gregas (dracmas) tinham uma coruja cunhada no verso. Índia: Sua carne é considerada uma iguaria afrodisíaca. E também serve para curar dores reumáticas. Inglaterra: A coruja branca servia para que os ingleses pudessem prever o tempo. Quando a ouviam guinchar, significava que iria esfriar, ou que uma tempestade, estava vindo. Os curandeiros curavam a bebedeira e a ressaca, com ovos de coruja crus. O costume britânico de pregar uma coruja na porta do celeiro para espantar o mal, durou até o século XIX. Marrocos: O olho de uma coruja, preso em um cordão no pescoço, é um excelente talismã. Peru: Cozido de coruja serve de remédio para quase tudo. Roma Antiga: No Império romano, ela era tida como animal agourento. Ouvir o seu pio era presságio de morte iminente. As mortes de Júlio César, Augusto, Aurélio e Agripa, foram anunciadas por uma coruja. Betty Ziade.

Gregorian - My Immortal - Video made by ME! (Evanescence)

tradução. Meu Imortal Estou tão cansado por estar aqui Reprimido por todos os meus medos infantis E se você tiver que ir Eu desejo que vá logo Porque sua presença ainda permanece aqui E isso não vai me deixar sozinho Essas feridas parecem não cicatrizar Essa dor é tão real Há tantas coisas que o tempo não pode apagar Quando você chorou, eu enxuguei todas as suas lágrimas Quando você gritou, eu lutei contra todos os seus medos E eu segurei sua mão por todos esses anos Mas você ainda tem tudo de mim Você costumava me cativar com sua luz ressonante Agora sou limitado pela vida que você deixou para trás Seu rosto assombra todos os meus sonhos que já foram agradáveis Sua voz expulsou toda a sanidade em mim Essas feridas parecem não cicatrizar Essa dor é tão real Há tantas coisas que o tempo não pode apagar Quando você chorou, eu enxuguei todas as suas lágrimas Quando você gritou, eu lutei contra todos os seus medos E eu segurei sua mão por todos esses anos Mas você ainda tem tudo de mim Eu tentei tanto dizer à mim mesma que você se foi E embora você ainda esteja comigo Eu tenho estado sozinha por todo esse tempo Quando você chorou, eu enxuguei todas as suas lágrimas Quando você gritou, eu lutei contra todos os seus medos E eu segurei sua mão por todos esses anos Mas você ainda tem tudo de mim

Gregorian - Hymn.

tradução. Vale profundo e as montanhas tão altas, se você quiser ver a Deus você tem que passar para o outro lado Você fica lá em cima com a cabeça nas nuvens, não tente para voar você sabe que não pode descer Não tente voar, meu Deus, você não pode descer Jesus veio do Céu para a Terra As pessoas diziam que era uma virgem Jesus veio do Céu para a Terra As pessoas diziam que era uma virgem Ele contou grandes histórias do Senhor E disse que ele era o salvador de todos nós Ele contou grandes histórias do Senhor E disse que ele era o salvador de todos nós Para este theywe matou pregaram-se alta Ele ressuscitou como se a perguntar-nos porque Então ele subiu intop o céu Como se dizer somente em Deus você subir Como se dissesse só em Deus nós voamos Vale profundo e as montanhas tão altas, se você quiser ver a Deus você tem que passar para o outro lado Você fica lá em cima com a cabeça nas nuvens, não tente para voar você sabe que não pode descer Não tente voar, meu Deus, você não pode descer

domingo, 2 de novembro de 2014

om mani padme hum.

muito bom repetir o mantra Om Mani Padme Hum [em tibetano sua pronúncia é Om Mani Peme Hung, mas sua origem é indiana], mas enquanto o estiverem fazendo devem pensar sobre sua significação, pois o significado dessas seis sílabas é grande e profundo. A primeira, Om, compõe-se das três letras A, U e M, que simbolizam o corpo, a palavra e a mente puros e sublimes de um Buddah. Podem o corpo, a palavra e a mente impuros ser transformados em corpo, palavra e mente puros, ou são inteiramente separados? Todos os Buddahs eram seres como nós que, após trilharem o Caminho, tornaram-se iluminados. O Budismo não afirma que haja uma pessoa que desde sua origem esteja livre de falhas e que possua todas as boas qualidades. A condição pura do corpo, da palavra e da mente surge ao abandonarmos gradualmente os estados impuros e, em conseqüência, nos tomarmos puros. Como se processa isso? O caminho é indicado pelas quatro sílabas seguintes: Mani, que significa jóia simboliza os fatores do método, a intenção altruísta de alcançar a iluminação, a compaixão e o amor. Assim como uma jóia é capaz de eliminar a pobreza, a mente altruísta da iluminação é capaz de afastar a pobreza, ou as dificuldades da existência cíclica e da paz solitária. Do mesmo modo como uma jóia satisfaz os desejos dos seres sencientes, a intenção altruísta de alcançar a iluminação satisfaz as aspirações dos seres sencientes. As duas sílabas, Padme, que significam lótus, simbolizam a Sabedoria. Assim como um lótus nasce da lama mas não se contamina com ela, a sabedoria é capaz de nos colocar em uma situação de não-contradição, ao passo que há contradição se não temos Sabedoria. Existe a Sabedoria que percebe a impermanência; a Sabedoria que percebe que as pessoas não são auto-suficientes ou substancialmente existentes; a Sabedoria que percebe o vazio da dualidade, ou seja, a diferença de entidade entre sujeito e objeto; e a Sabedoria que percebe o vazio da existência inerente. Embora existam muitos tipos diferentes de Sabedoria, a mais importante é aquela que percebe o vazio. A pureza deve ser alcançada através da unidade indivisível do método e da Sabedoria, representada pela sílaba final Hum, que indica essa indivisibilidade. De acordo com o sistema sutra, a indivisibilidade de método e Sabedoria referem-se à Sabedoria influenciada pelo método e este influenciado por Aquela. No mantra, ou veículo tântrico, faz-se referência a uma consciência na qual existem de forma completa tanto a Sabedoria quanto o método como uma entidade indiferenciável. Em termos das sílabas-sementes dos cinco Buddahs Vitoriosos, Hum é a sílaba-semente de Akhobhya — O inalterável, O que não se agita, O que nada pode perturbar. Desse modo, as seis sílabas, Om Mani Padme Hum significam que, em função da prática de um Caminho que é uma união indivisível de método e Sabedoria, podemos transformar nosso corpo, nossa palavra e nossa mente impuros, no corpo, na palavra e na mente sublimes de um Buddah. Diz-se que não devemos procurar o Estado de Buddah fora de nós mesmos; as substâncias para que alcancemos o Estado de Buddah estão dentro de nós. Como Maitreya declara no seu Sublime Continuum do Grande Veículo (Uttaratantra), todos os seres possuem a natureza de Buddah no seu próprio continuum. Temos dentro de nós a semente da pureza, a essência d’Aquele que chegou à Verdade, Tathagatagarbha, a qual deve se desenvolver completamente e se transformar no puro Estado de Buddah O Budismo ensina também que: OM (a natureza última de toda a realidade – a essência das coisas) — liberta do orgulho MA — liberta do ciúme e da luxúria NI — liberta das paixões e dos desejos egoísticos PAD — liberta da ignorância ME — liberta da avareza e da possessividade HUM — liberta da agressividade e do ódio Om Mani Padme Hum, muito resumidamente, abre a mente para o Amor e para a Compaixão conduzindo ao despertar. E assim, cada uma das seis sílabas tem um efeito específico, a saber: OM — purifica o corpo físico MA — purifica a palavra NI — purifica a mente PAD — purifica as emoções ME — purifica as condições latentes HUM — purifica o véu que encobre o Conhecimento (Sua Santidade Tenzin Gyatso — Décimo Quarto Dalai-Lama, Centros Budistas Calmuco-Mongólia, Nova Jersey)

sábado, 1 de novembro de 2014

Ao Longo do Ano com Maria.

A FESTA DA RESSURREIÇÃO. _______________________ A Observância de Áries. _______________________ Essa santificada observância é iluminada pela Luz que jamais brilhou sobre terra ou mar. Ela bruxuleia em beleza e tremula em êxtase, beleza e êxtase dessa grande nova vida ressurgente que é a marca do Cristo Ascendente. Quem nunca vibrou até à exaltação da consciência que surge quando se contempla o fulgor misterioso que banha as montanhas nas manhãs de Páscoa, momentos antes do místico amanhecer? Um poder transcendente irradia sobre a Terra nessa hora, algo nunca sentido em qualquer outra época do ano. É a Luz do Cristo Ressurreto, a Luz mantida aprisionada dentro da Terra desde o Advento do Solstício de Dezembro. Sua libertação traz uma gloriosa alegria espiritual para aqueles que são sensíveis às mais superiores forças da Natureza. Cada ano, essa vibrante força magnética da Luz de Cristo inspira sempre maior número de pessoas em todo o mundo a praticarem o serviço do amanhecer, ao ar livre. Quando nos tornarmos suficientemente sábios para podermos nos sintonizar completamente com essa força emanada na manhã de Páscoa, as doenças desaparecerão e os hospitais não mais serão necessários, pois o homem será capaz de seguir a injunção de Cristo, "Médico, cure-se a si mesmo". Infelizmente, a humanidade não aprendeu a se colocar em perfeita harmonia com a vibração benéfica de Cristo. Quando isso for feito, cada um de nós virá a conhecer sua manhã de ressurreição pessoal. Naquela primeira manhã de Páscoa e dentro de seu próprio sagrado santuário, subitamente Maria percebeu que o seu Santuário achava-se preenchido pela mesma dourada Luz que cercava as montanhas lá fora. Então, nas asas do amor, o corpo glorificado do Cristo Ressurreto apareceu diante dela. Assim , os olhos de Maria foram os primeiros a contemplar o Senhor Ascendente. O trabalho transmutativo dessa Observância de Áries (Abril) é derramar as forças de Amor, Luz e Vida no mundo para que a consciência da humanidade possa ser crescentemente impressionada pela percepção de que não existe morte, que a vida é eterna e o amor é imortal. A FESTA DA PREPARAÇÃO. ______________________ A Observância de Touro. _______________________ Maio é o mês dedicado primordialmente à Amada Senhora, pois ela é verdadeiramente a alma de maio. Sua pureza é igual a dos alvos lírios que levantam seus cálices para captar os primeiros raios do sol matinal. Sua beleza e fragrância são como a graça e o perfume das rosas que embelezam nossos jardins em maio. Ela é tanto o Lírio do Vale como a Rosa de Sharon. Um verdadeiramente belo cerimonial para esse mês é observado no Templo dos Mistérios Cristãos. Ele diz respeito a mães e filhos porque todos os Egos que estão se preparando para assumir a forma humana no transcurso do ano seguinte se reúnem para receber a benção da Divina Senhora e sua hoste de Anjos auxiliares. Diz respeito, também, a todas as futuras mães sobre as quais são tecidas, por essas hostes angélicas, brilhantes grinaldas de bênçãos. Quão interessante é o fato das verdades espirituais serem sempre refletidas no mundo exterior. Quando um dia foi reservado para homenagear as mães, a data escolhida por intuição espiritual foi o segundo domingo do mês de Maria. Outro aspecto bastante belo da Observância de maio é a bênção de todas as pequenas criaturas, os espíritos da natureza, que trabalham para embelezar a paisagem terrestre. A Divina Mãe e seus Anjos emprestam sua ajuda para aumentar e acelerar as atividades desses pequeninos seres de modo a que o trabalho deles, de tornar a Natureza tão encantadora ao olhar, possa ser apressado. Essas diminutas criaturas parecem estar conscientes dessa grande e forte chuva espiritual e, festejando sua intensidade, eles se lançam ao trabalho de colorir e embelezar a natureza em completo e alegre desprendimento. É por isso que Maria coroa o seu mês de maio com uma bênção de recém-criada beleza. A FESTA DO AMOR. _________________ A Observância de Gêmeos. _______________________ Em junho, quando o Sol passa por Gêmeos, é celebrado o incomparável Processional do Amor. Até esse mês, toda a observância esteve sob a supervisão de Anjos e Arcanjos. Agora, contudo, Seres louvados conhecidos como Querubins e Serafins, as Hierarquias de Câncer e Gêmeos, respectivamente, é que estão no controle. Seu trabalho é derramar sobre a Terra correntes poderosas de Amor, a principal força estabilizadora deste planeta. Durante o glorioso Processional, estes elevados Seres irradiam com todo o brilho de dez mil sóis. Suas rodopiantes e cintilantes emanações permeiam todo o nosso planeta até este assemelhar-se a uma potente esfera de ouro fundido. A Divina Senhora é a Rainha desse Processional, pois ela é o ponto central do foco por meio do qual essas poderosas correntes de Amor são derramadas sobre toda a humanidade. Alçada bem alto acima da esfera terrestre, ela acha-se transfigurada, parecendo ser uma mescla da brilhante luminescência do Sol com o luminoso reflexo da Lua. Maria não é somente a Rainha do Amor dessa elevada festa, ela é também a mãe compreensiva e piedosa para todos que buscam sua ajuda - pois é apenas mediante tão inefável dedicação ao Amor, como a sua, que nascem a verdadeira compreensão e piedade. O Amor é o maior poder do mundo, que pode mudar todas as coisas, pessoas e condições. Sua ilimitada potência transformadora age na magnificente observância de junho. Num êxtase de visão, São Paulo testemunhou esse Processional do Santo Amor, tendo a gloriosa Maria por Rainha. Quando retornou, e ainda nas asas da inspiração, ele escreveu uma das mais sublimes canções de amor que o mundo já ouviu, "embora eu fale a língua dos homens e dos Anjos, se eu não tiver amor, serei como o metal que soa ou como o sino que tine." Que a humanidade responde intuitivamente às correntes do Amor que permeiam o mundo inteiro por essa ocasião, está evidente no fato de que junho é o mês dos namorados e muitos casamentos se dão nessa época. As pessoas no mundo de hoje pouco percebem que hábitos culturais nada mais são que ecos e sombras projetadas de verdades transcendentais que existem e se manifestam além do véu. A FESTA DA VISITAÇÃO. ______________________ A Observância de Câncer. _______________________ Câncer é a poderosa constelação das mães. Murillo, o grande artista espanhol, quando em êxtase, teve a visão da Divina Maria e de seu papel no belo cerimonial de Câncer. Ele a viu glorificada, com seus pés sobre a Lua, simbolizando ter ela dominado todas as emoções de sua natureza inferior. São João contemplou visão semelhante de Maria de como ela participou do cerimonial de Leo. Ele a descreveu na Revelação como a mulher de pé sobre a Lua coroada com a glória do Sol. O belo cerimonial que diz respeito a Câncer é biblicamente conhecido como A Visitação, pois, nessa época do ano, Maria subiu o monte para passar três meses na casa de Isabel, outra elevada Iniciada. A história dessa visitação é uma das gemas mais preciosas em toda a Bíblia, revelando uma das mais importantes verdades jamais dadas à humanidade. É a revelação da importância da época pré-natal. Emerson disse que quando a criança sai do corpo de sua mãe, o portão das dádivas fecha-se por trás dela. Verdade é que uma sábia mãe pode exercer enorme influência sobre a criança que vai nascer. Essa é uma verdade que algum dia receberá a devida atenção na educação pública. Deveria ser ensinada em uma versão adequadamente adaptada, desde os primeiros anos da escola até à faculdade. A nova raça jamais poderá vir a nascer antes que as futuras mães compreendam e prestem atenção aos ensinamentos ocultos sobre o período pré-natal. Vez por outra, algumas pessoas são levadas a testemunhar nos planos internos essa importante observância de julho. Elas retornam aos reinos externos para escrever, ensinar e falar sobre seu significado vital, de modo a que as massas possam vir a aceitar e ser guiadas pela sabedoria dos planos internos. Maria viveu na região fisicamente mais elevada e também na região mais elevada de consciência. Ela fez seu lar no sagrado santuário de Isabel e diariamente comungou com os Anjos. Maria e Isabel contataram ambas, de vontade própria, os dois Egos avançados que buscavam corporificar-se por meio delas - Jesus, que veio ao plano físico no mais perfeito e belo corpo que já habitou a Terra e João, o Batista, de quem Cristo falou, "entre os que nasceram de mulheres jamais existiu alguém maior". A FESTA DA ASSUNÇÃO. ____________________ A Observância de Leo. ____________________ A Observância de Leo diz respeito à Assunção da Abençoada Virgem. Ela estava sempre mais próxima dos Anjos que da humanidade. Poetas a ela se referiram como sendo metade humana e metade divina, mesmo quando menina. Grandes artistas retrataram-na rodeada de Anjos mesmo quando empenhada nas mais humildes tarefas domésticas. O Ritual de Leo acha-se baseado na Iniciação Suprema da Divina Senhora. Tendo aprendido todas as lições que a Terra tinha a ensinar, ela foi alçada nas vibrantes correntes da onda do amor de Leo e transportada aos reinos angelicais. Daí a Igreja ensinar que Maria é Rainha, tanto dos Anjos quanto dos homens. À Iniciação de Maria compareceram elevados Seres celestiais, fileira por fileira e categoria por categoria, cada um revestido de tão belo e luminoso brilho e de tão raro esplendor, que até parecia que as mais brilhantes galáxias haviam desertado o Céu para prestar homenagem à Terra. A Festa da Assunção marca um dos mais sublimes acontecimentos da Terra e por isso Maria, a abençoada Senhora, tornou-se Maria, a Divina Senhora. Ela havia aperfeiçoado sua humanidade e estava pronta, enquanto ainda em corpo físico, para descartar sua roupa de mortalidade e revestir-se do traje da imortalidade. Ela estava preparada para subir a dourada e evolutiva escada que se estende entre os reinos humano e angélico. Maria, a mulher, tornou-se Maria, o Anjo. Cada Hierarquia celestial presente nesse sublime acontecimento movimentava-se em sua respectiva nota-chave musical e cada tom estava tão penetrantemente doce que o ar palpitava em êxtase e até as estrelas re-ecoavam o canto divino. Maria, verdadeiramente, mediante sua divindade, foi coroada ao som da música das esferas. Contudo, a perfeita Maria renunciava à sua elevada posição para passar todo o seu tempo no plano terrestre. Onde quer que haja uma profunda aflição, onde quer que aconteça um trágico desastre, ela e sua hoste de Anjos auxiliares são encontrados prestando serviço. Ela continuará prestando seus auxílios até que toda a humanidade esteja Cristianizada. O CERIMONIAL DA PAZ. _____________________ A Observância de Virgo. ______________________ Em setembro, tem lugar o exaltado Cerimonial da Paz. Um poeta nos diz que a palavra setembro é sinônimo de paz. Como bem sabe o místico, nesta estação do ano toda a Terra é banhada em gloriosa disposição para a Divina Calma. Durante esse mês os sensitivos gostam de retirar- se para o silêncio e a serenidade das florestas para meditarem e serem iluminados, pois hostes de Seres Celestiais aproximam-se da Terra nessa época. De fato, este planeta fica literalmente inundado de acariciante calma. Há aqueles em nossa esfera mundana que são escolhidos de modo a poderem testemunhar o espetáculo de setembro para depois retornarem inspirados para dedicarem suas vidas ao serviço da causa da paz. A Lei Divina trabalha ardente e continuamente pela paz, daí ser natural Ela ter escolhido a época tranqüila de Virgo para seu próprio nascimento na Terra. A Hierarquia de Virgo é a dos Senhores da Sabedoria. O membro mais exaltado dessa Hierarquia é feminino em princípio e a esse membro nos referimos como sendo a Mãe do Mundo. Aqueles que acham-se familiarizados com as pinturas de um dos maiores artistas modernos, Nicholas Roerich, sabem que grande parte de sua inspiração artística foi centrada em torno da Mãe Cósmica. Muitas de suas famosas telas, distribuídas hoje em dia pelos dois hemisférios do planeta, retratam o radiante semblante desse Ser Beneficiente. Foi ela que tornou-se o Instrutor de toda a santificada Iniciada escolhida para ser a mãe física de um Salvador do Mundo. Esse Ser Cósmico transcendental instrui no mais profundo de todos os mistérios: o da Imaculada Concepção. A Imaculada Concepção é a mais elevada aquisição da humanidade. É a ponte dourada que liga a nossa onda de vida humana à dos Anjos. Maria atravessou esta ponte antes de ser considerada digna de tornar-se o modelo perfeito para exemplificar o sagrado mistério da Imaculada Concepção. A FESTA DO CORAÇÃO ILUMINADO. ____________________________ A Observância de Libra. ______________________ Outra observância transcendental é celebrada em outubro, a Festa do Coração Iluminado. As Hierarquias de Gêmeos e Câncer derramam suas forças de Amor nos Reinos Espirituais da Terra durante o período de Gêmeos. No mês de Leo, essas poderosas correntes de Amor descem e difundem-se nas regiões do Desejo e Etérea da Terra. Então, em outubro, o poder do glorioso Amor toca o corpo físico da Terra. Isso ocorre na época do Equinócio de Setembro. As radiações do Amor de Cristo penetram gradualmente as várias camadas do planeta até que na ocasião do Solstício de Dezembro elas alcançam seu poder máximo e esplendor no coração da Terra. Cada dia, desde o Equinócio de Setembro ao Solstício de Dezembro, aquelas radiações oferecem ao aspirante uma oportunidade para que ele faça uma preparação especial para o nascimento do Espírito de Cristo dentro de seu coração. Hostes de Anjos em serviço, liderados pela Divina Senhora, derramam vapores de Luz e Amor sobre a Terra. Muitos santos que tiveram visões da Senhora descreveram a gloriosa Luz que irradiava de Suas mãos e pés. Bernadette se refere a eles como belos centros de Luz tais como rosas desabrochando. É desses centros espirituais despertados que a Virgem irradia continuamente Amor e Luz por sobre a humanidade. Como essa poderosa corrente de Cristo penetra a Terra ano após ano, forças evolucionárias acham-se progressivamente em aceleração. Como os impulsos de Cristo imprimem-se sempre com maior força e clareza nos corações e mentes dos homens, então bondade, tolerância , amor, simpatia e compaixão irão pouco a pouco substituindo seus opostos. A falta de humanidade do homem para com os de sua espécie e contra os irmãos menores do reino animal vai acabar. A fraternidade tornar-se-á uma realidade na Terra. Tais são os objetivos que a Abençoada Senhora está sempre buscando alcançar. A FESTA DA IMORTALIDADE. _______________________ A Observância de Scorpio. _________________________ A Observância que ocorre em novembro, enquanto o Sol está transitando pelo signo de Scorpio, é a Celebração de Finados. A Igreja de hoje reserva o início de novembro para celebrar essa data. Durante a observância de maio (Tauro) os Egos prontos para retornar em corpo físico durante o ano corrente, reúnem-se para receber as bênçãos da Divina Virgem e Sua hoste de ministros angélicos. Durante a observância de novembro (Scorpio), todos os que abandonaram seus corpos durante o ano que passou reúnem-se para que também eles possam ser abençoados pela Senhora e Seus Anjos. A Luz Dourada gerada por essas bênçãos encoraja e acelera o progresso superior dos Egos recém- libertados. Para os iluminados, as chamadas vida e morte são dois aspectos da existência imortal. Para eles, a morte não é mais que uma passagem para os Reinos Superiores de Vida e os mais amplos campos de atividade. Era nisso que a Igreja acreditava até cerca de trezentos anos após a Crucificação. Durante os primeiros dias dos Mistérios Cristãos, o Senhor Cristo, Maria e os Discípulos conviviam livremente com os membros da Igreja. Ensinavam aos seus seguidores e com eles trabalhavam incessantemente, do mesmo modo que o faziam quando estavam em Seus corpos físicos. É propósito do Cerimonial de Novembro levantar o véu entre os vivos e aqueles chamados mortos. Muitos dos que testemunharam essa Observância nos planos superiores trouxeram de volta uma percepção consciente e subconsciente de que a morte não existe, que não há nada mais do que Vida Eterna e Amor Imortal. Como o Ritual de Scorpio vem prosseguindo durante os anos que se seguiram, milhares irão dar seu testemunho da imortalidade, e o véu da separação tornar-se-á cada vez mais fino até que a convivência entre os planos visível e invisíveis seja completamente estabelecido. Então toda a humanidade exclamará triunfalmente com São Paulo: "Ó morte, onde está teu aguilhão? Ó, túmulo, onde está tua vitória?" A FESTA DA IMACULADA CONCEPÇÃO. ______________________________ A Observância de Sagitário. ____________________________ A última observância do ano ocorre em dezembro quando o Sol passa pelo signo de Sagitário. Esse é, talvez, o mais elevado e mais belo de todos os cerimoniais, o mais amado pela Abençoada Senhora. É a Festa da Imaculada Concepção. O Mestre disse a Seus discípulos que só o puro de coração veria a Deus, e não antes do sagrado Mistério da Imaculada Concepção ser compreendido e aplicado na vida da humanidade teríamos uma raça concebida em pureza. Então haverá de verdade um novo Céu e uma nova Terra. Quando estudava as Verdades Eternas, o inspirado Isaías teve a visão de glorioso futuro em que cada homem viverá sob sua própria videira e sua própria oliveira. Declarou que todos os homens moldariam suas espadas em relhas de arado e suas lanças em podadeiras, "pois a Terra estará preenchida pelo conhecimento do Senhor assim como as águas cobrem o mar". Pois assim foi que a Virgem Santa vislumbrou uma humanidade nova e glorificada quando declarou triunfantemente que as gerações futuras surgiriam e a declarariam abençoada. Ela percebeu plenamente que era a escolhida para dar a luz ao grande Mestre Jesus e, num corpo físico, para corporificar o tipo ideal perfeito da suprema realização humana neste planeta - a Imaculada Concepção. Branco e azul são as cores da Divina Senhora. Branco e azul são também as cores com as quais o Templo é decorado para essa refinada festa. Durante todo o mês de dezembro, a Senhora, acompanhada por grande número de Anjos e Arcanjos, chega bem próximo da Terra e muitas vezes pode ser vista passando em triunfo através dos dias e das noites dessa sagrada estação, declarando: "Eu sou a Imaculada Concepção! Eu sou a Imaculada Concepção!" A FESTA DA NATIVIDADE. ______________________ A Observância de Capricórnio. ____________________________ A observância para janeiro ocorre quando o Sol passa pelo signo deCapricórnio na noite do Solstício de Dezembro. Como já foi observado, as energias liberadas a cada Cerimonial continuam inundando nossa Terra durante a época em que o Sol transita em cada signo, em particular no caso de Capricórnio. O Cerimonial acha-se relacionado com esse sagrado acontecimento: A Natividade. Jesus nasceu numa manjedoura onde os animais se alimentavam. Da mesmamaneira, o nascimento do Cristo no homem tem que acontecer numa manjedoura - isto é, em sua natureza inferior. Ainda não há lugar na hospedaria para Ele nascer, pois a hospedaria está na cabeça. O primeiro trabalho de um aspirante no Caminho é a purificação e espiritualização de sua natureza inferior. Por isso, o próprio Cristo sempre nasce numa manjedoura. Durante o mês de Capricórnio, hostes de Anjos mandam poderosas correntes de purificação e cura, aproximam-se e cantam sem parar, "Que o Cristo nasça em você!" Isso gera e irradia um imenso poder. Quão pouca percepção nós temos das benéficas emanações que são continuamente irradiadas para nós vindas dos planos internos! Exatamente oitocentos anos após a Natividade, os orgulhosos romanos que crucificaram Cristo ajoelharam-se perante Ele em homenagem - pois quando o soberano Carlos Magno foi coroado Imperador do Oeste no Dia de Natal em 800 d.C., abriu-se o caminho para o estabelecimento da Cristandade na Europa. Duzentos anos depois, numa Noite de Natal, Guilherme o Conquistador foi coroado e as Ilhas Britânicas ficaram sob a influência dos ensinamentos cristãos. Um ano após, novamente no Natal, foi inaugurado o primeiro parlamento de homens livres que o mundo jamais havia visto. Poucas pessoas percebem o prodigioso poder espiritual que inunda a Terra na época do Santo Natal. Os Sábios usam todas as oportunidades e canais para fazer frutificar o Plano Divino na Terra. A observância do Solstício de Inverno (Verão no hemisfério Sul) vai continuar nos mais profundos planos até que Cristo nasça no coração de cada um. A FESTA DA DEDICAÇÃO. _____________________ A Observância de Aquário. _________________________ Em fevereiro, acontece o cerimonial da dedicação. Quão magnífica foi a ocasião em que Jesus Menino foi levado ao Templo. Deve ter sido o maior dia na história de Jerusalém. Por centenas de anos, o povo da Palestina falou do Messias prometido, rogou por sua vinda e aguardou ansioso por tão esperado acontecimento. Entretanto, quando Ele chegou, esse mesmo povo entregou-se calmamente às suas rotinas. Não tivessem eles sido tão insensíveis e insensatos, teriam visto o ofuscante raio de Luz que iluminou toda a estrutura do Templo, quando da entrada desse Santo Ser. Teriam ouvido o elevado coro dos Anjos e Arcanjos que sempre acompanhavam os passos da criança de modo a envolvê-lo em um literal halo de som, que tornou-se Seu sustento e Sua proteção. Os únicos a reconhecê-lo foram os mais altos Iniciados, Simão e Ana. Eles sabiam que a preciosa criança havia chegado à Terra para servir de canal para o Senhor Cristo. Eles também perceberam o papel vital que Sua santa mãe desempenharia no drama de Cristo. Por isso, eles ofereceram palavras de amor e de coragem para fortalecê-la e sustentá-la. Na vida da humanidade, o Templo representa o mundo. Dedicação e consagração a todas as causas nobres e a todo idealismo elevado são os objetivos das forças que os Grandes Seres derramam no coração da humanidade durante a Festa da Dedicação. Dedicação e consagração, num Serviço em permanente ampliação para o desenvolvimento do espírito de fraternidade por todo o mundo, fazem soar a nota-chave de Aquário, já que fevereiro é o mês da realização das esperanças e da frutificação dos sonhos. A FESTA DA ANUNCIAÇÃO. ______________________ A Observância de Peixes. _______________________ O Cerimonial de março é um dos mais bonitos e misteriosos de todos os rituais. É conhecido como a Festa da Anunciação. A Festa tem uma descrição velada da primeira Iniciação da Virgem Maria na Terra. Então, pela primeira vez, ela compreendeu totalmente seu destino incomparável e de como foi escolhida para dar a luz a esse Ser por meio de quem o Senhor Cristo, o Salvador da humanidade, viria à Terra. O professor e iniciador de Maria foi o belo, gentil e ternamente simpático Gabriel. Gabriel é o anjo que guarda e guia o Espírito da Maternidade no mundo inteiro. Ele envia anjos ministros para abençoar toda a mãe em perspectiva. Esses mensageiros angélicos cuidam e dirigem um espírito para a mãe e o lar onde ele vai encontrar corporificação. As enfermarias para maternidade nos hospitais são freqüentemente iluminadas pela luz de faces angélicas e perfumadas pelas preces e bênçãos dos anjos atendentes. Às vezes, essas enfermarias recebem santificação dobrada pela presença do próprio Grande Anjo Gabriel. Desde a sua mais tenra infância, Maria foi cercada por esse amor e cuidado, pois estava destinada a tornar-se o perfeito e exemplar modelo de maternidade para todas as mulheres. Muitas e variadas foram as experiências de alma a ela dadas sob a tutela do Anjo Gabriel.Essas experiências atingiram suprema culminância na onda gloriosa da Anunciação. A particular nota-chave musical em que Gabriel vive e se move e tem sua existência emite uma benção contínua sobre o Espírito da Maternidade. Todas as canções de ninar e de acalanto compostas por inspirados músicos através dos tempos acham-se sintonizadas na nota-chave musical de Gabriel. Pelo exposto, os Iniciados dos planos mais internos escolhem sempre uma das quatro estações sagradas como a ocasião para darem à humanidade maior iluminação. Por isso Céu e Terra acham-se na mais profunda comunicação. Assim, encontramos a Anunciação ocorrendo na estação do Equinócio de Março. Após esse elevado evento, o semblante de Maria emitiu uma luz tão magnífica que até mesmo seus companheiros de Templo e seus pais hesitaram em se aproximarem de sua exaltadapessoa. Por todo o tempo em que permaneceu na Terra, sua face nunca perdeu o brilho, pois achava-se investida de uma figura angelical. Humildade, obediência e serviço são as forças irradiadas para o homem durante a Festa da Anunciação. Isso também compõe a nota-chave de Pisces, tornando-se assim os temas para meditação e manifestação durante essa santa estação.Corinne Heline.

A Caminho do Renascimento.

Quando um Ego está no caminho para o seu renascimento o átomo semente do corpo vital reune novo material. A polaridade deste material determina seu sexo na próxima vida. O átomo semente do corpo vital é o próximo a entrar em atividade, mas o seu processo de formação não é tão simples como no caso no caso da mente e do corpo de desejos, pois é preciso lembrar que estes veículos estavam comparativamente não organizados, enquanto que o corpo vital e o corpo denso são mais organizados e muito complexos. O material de quantidade e qualidade determinadas, é atraído de mesma maneira e sob a obediência da mesma lei como no caso dos corpos superiores, mas a construção do novo corpo e sua colocação no ambiente adequado são feitas por quatro grandes Seres de incomensurável sabedoria, que são os Anjos do Destino, os "Senhores do Destino". Eles impressionam o eter refletor do corpo vital de tal maneira que nele se refletem os quadros da próxima vida. Ele (o corpo vital) é construído pelos habitantes do mundo celestial e os espíritos elementais de tal modo a formar um tipo particular de cérebro. Mas note que, o Ego que retorna, ele próprio, incorpora então a quintessência de seus corpos vitais anteriores e além disso ainda realiza um pequeno trabalho original. Isso é feito de modo que na próxima vida possa haver lugar para expressão original e individual, não predeterminada por ações passadas. O corpo vital, tendo sido moldado pelos Senhores do Destino, dará forma ao corpo denso, órgão por órgão. A matriz ou molde é então colocada no útero da futura mãe. O átomo semente do corpo denso está na cabeça triangular de um dos espermatozoides no semem do pai. Só isso torna a fertilização possível e aqui está a explicação para o fato de tantas vezes as uniões sexuais serem infrutíferas. Os componentes químicos do fluído seminal e dos óvulos são os mesmos todo o tempo e se fossem só esses os requisitos, a explicação do fenômeno da infertilidade, se procurada só no mundo material visível, não seria encontrada. Quando compreendemos que assim como as moléculas d' água se congelam segundo as linhas de força na água e se manifestam como cristais de gêlo em vez de se congelarem numa massa homogênia, torna-se evidente, portanto, como seria o caso se não existissem as linhas de força previamente à coagulação, não poderia assim existir a construção do corpo denso enquanto não houvesse um corpo vital no qual se construir o material; além do mais precisa haver um átomo semente para o corpo denso agir como padrão de qualidade e quantidade do material que será moldado naquele corpo denso. Também, no atual estágio do desenvolvimento nunca há total harmonia nos materiais do corpo, porque aquele que a tivesse seria um corpo perfeito, porém a desarmonia não pode ser tão grande a ponto de ser destruidora do organismo. Uma vez realizada a impregnação do óvulo, o corpo de desejos da mãe trabalha sobre ele de dezoito a vinte-e-um dias, o Ego permanece fora em seu invólucro do corpo de desejos e da mente, embora sempre em estreito contato com a mãe. Após a expiração desse tempo o Ego entra no corpo da mãe. Os veículos em forma de sino dirigem-se para sobre a cabeça do corpo vital e o sino fecha-se em baixo. Dessa hora em diante o Ego paira sobre o seu futuro instrumento até o nascimento da criança e a nova vida terrena do Ego, que retorna, começa. Acha-se escrito no Conceito Rosacruz do Cosmos que o corpo vital da mulher é positivo e que o corpo vital do homem é negativo. Quando os agentes dos Anjos do Destino estão assistindo um Ego que vai renascer, o tipo do sexo já foi determinado, tanto pela lei de alternação como por uma modificação dessa lei por circunstâncias específicas na vida individual do Espírito, e o Ego é então ajudado a captar para si quantidade suficiente de diferentes tipos de éteres exigidos pelo seu desenvolvimento. Esses materiais são de uma certa polaridade, seja positiva ou negativa. Quando a matriz feita apenas de átomos etéricos positivos é colocada no útero da futura mãe, estes átomos irão infalivelmente atrair para si átomos físicos negativos, e o corpo resultante da criança, torna-se, em consequência, feminino. Se, de outro modo, a matriz que for colocada no útero da mãe for composta de átomos etéricos negativos, irá atrair os átomos densos positivos e o resultado é que os órgãos sexuais masculinos são mais desenvolvidos e portanto o sexo é masculino. A vida, como a eletricidade, necessita ambas expressões positiva e negativa, de outro modo não pode-se manifestar. Quando o Ego no seu caminho para renascer passa pela Região do Pensamento Concreto, o Mundo de Desejo, e a Região Etérica, ele atrai uma certa quantidade de material de cada uma delas. A qualidade desse material é determinada pelo átomo semente, pelo princípio de que semelhante atrai semelhante. A quantidade depende da quantidade de matéria requerida pelo arquétipo por nós mesmos construído no Segundo Céu. Da quantidade dos átomos etéricos prismáticos que são apropriados para um certo Espírito, os Anjos do Destino e seus agentes constroem uma forma etérica que é então colocada no útero da mãe e gradualmente revestida com matéria física que depois forma o corpo visível do recém-nascido. O cordão prateado que cresceu do átomo semente do corpo denso (localizado no coração) desde a concepção, é preso à parte que brotou do vórtice central do corpo de desejos, (localizado no fígado), e quando o cordão prateado é preso pelo átomo semente ao corpo vital, (localizado no plexo solar), o Espírito morre para a vida no mundo supersensível e anima o corpo que vai usar em sua futura vida na Terra.Max Heindel.

A Constituição da Terra e as Erupções Vulcânicas.

Mesmo entre os cientistas ocultistas, a investigação da construção misteriosa da terra é considerada como um dos mais difíceis problemas. Todos os cientistas ocultistas sabem que é mais fácil pesquisar inteira e acuradamente o Mundo do Desejo e a Região do Pensamento Concreto e apresentar os resultados ao Mundo Físico, do que pesquisar, por completo, os segredos de nosso planeta físico, porque para fazê-lo, inteiramente, a pessoa deve ter passado através dos nove Mistérios Menores e da primeira das Grandes Iniciações. Os cientistas modernos sabem muito pouco sobre este assunto. No que concerne aos fenômenos sísmicos, mudam freqüentemente suas teorias, porque estão constantemente descobrindo novas razões pelas quais suas hipóteses anteriores são insustentáveis. Com seu esplêndido cuidado habitual, eles têm pesquisado a própria crosta externa, mas somente até uma profundidade insignificante. Quanto às erupções vulcânicas, eles tentam entendê-las como tentam entender tudo o mais, de um modo puramente mecânico, descrevendo o centro da terra como uma fornalha ardente e concluindo que as erupções são causadas pela entrada acidental de água, e por outras maneiras semelhantes. De certa forma, suas teorias têm algum fundamento, mas neste caso, como sempre, eles estão esquecendo as causas espirituais que, ao ocultista, parecem ser as verdadeiras. Para ele o mundo está longe de ser "morto". Ao contrário, todos os seus recantos e frinchas estão permeados pelo espírito, que é o fermento que causa as transformações dentro e sobre o planeta. As diferentes espécies de quartzo, os metais, a disposição dos diversos extratos - tudo tem um significado muito maior do que o pesquisador materialista possa, em qualquer tempo, ter entendido. Para o cientista ocultista, o modo como estes materiais estão arrumados é cheio de significado. Para a treinada visão clarividente do Iniciado nos vários graus dos Mistérios, a Terra aparece construída em estratos, parecida com uma cebola, uma camada, ou estrato por fora da outra. Há nove desses estratos e o núcleo central, completando dez ao todo. Estes estratos são revelados, gradualmente, ao Iniciado. Um estrato torna-se acessível a ele em cada Iniciação, assim, ao fim das nove Iniciações Menores, ele está senhor de todos os estratos, mas ainda não tem acesso aos segredos do núcleo. Na linguagem antiga, estes nove degraus eram chamados "Os Mistérios Menores". Levam o neófito, conscientemente, através de tudo que se relaciona com sua passada evolução, através das atividades da existência involuntária, para que ele possa entender o modo e significado do trabalho que, então, executou inconscientemente. Mostram-lhe como a presente formação nônuplo (o tríplice corpo, a tríplice alma e o tríplice espírito) foi levada à existência; como as Grandes Hierarquias Criadoras trabalharam sobre o Espírito Virginal, despertando nele o Ego, ajudando-o a formar o corpo; e também o trabalho que ele próprio fez, para extrair do tríplice corpo, o tanto da tríplice alma que ele agora possui. Por um grau de cada vez, ele ‘guiado através dos nove graus dos Mistérios Menores, os nove estratos. Quando o homem em evolução passou pelas nove Iniciações Menores, adquirindo, com isso, entrada para todas as camadas da Terra, ainda deve conquistar a entrada para o núcleo dela. Esta entrada será aberta para ele pela primeira das quatro Grandes Iniciações, na qual aprende a conhecer o mistério da mente, essa parte do seu ser começado na Terra. Quando ele está pronto para a primeira Grande Iniciação, desenvolveu sua mente ao grau em que todos os homens estão destinados a chegar, no final do Período Terrestre. Nessa Iniciação é lhe dada a chave para o próximo estágio, e todo o trabalho executado por ele, depois disso, será igual ao que a humanidade em geral fará no Período de Júpiter e que não nos concerne no momento presente. O Diagrama l8 fará uma idéia da disposição dos estratos da Terra, sendo omitido o núcleo central para indicar com mais clareza a formação lemniscata das correntes do nono estrato. No Diagrama os estratos são representados como sendo de igual espessura, embora, na realidade, alguns sejam muito mais delgados do que os outros. Começando pelo de fora, eles aparecem na seguinte ordem: (l) Terra Mineral: Esta é a crosta de pedra da Terra, com a qual a geologia trabalha até onde é capaz de penetrar. (2) Estrado Fluídico: A matéria deste estrado é mais fluídica do que a da crosta externa, contudo não é aquosa, porém mais parecida com uma pasta grossa. Tem a qualidade de expansão, como a de um gás extremamente explosivo, e é mantida no lugar apenas pela enorme pressão da crosta externa. Se esta fosse removida, todo estrato fluídico desapareceria no espaço com uma tremenda explosão. Estes estratos correspondem às Regiões Química e Etérica do Mundo Físico. (3) Estrato Vaporoso: No primeiro e segundo estratos não há, realmente, vida consciente. Mas neste estrato há um fluir de vida incessante e pulsante, como no Mundo do Desejo, que circunda e interpenetra nossa terra. (4) Estrato Aquoso: Neste estrato estão as possibilidades germinais de tudo que existe sobre a superfície da Terra. Aqui estão as forças arquetípicas que se ocultam atrás dos Espíritos-Grupo e também as forças arquetípicas dos minerais, pois esta é a expressão física direta da Região do Pensamento Concreto. (5) Estrato Germinal: Cientistas materialistas têm ficado frustrados em seus esforços para descobrir a origem da vida, como as primeiras coisas viventes surgiram de matérias previamente mortas. Na realidade, de acordo com a explanação ocultista da evolução, a pergunta deveria ser como as coisas "mortas" se originaram. A Vida estava lá antes das Formas Mortas.. Ela formou seus corpos de substâncias vaporosas atenuadas, muito antes destas se condensarem na crosta sólida da Terra. Somente quando a vida deixou as formas, elas poderiam ter-se cristalizado e se tornado duras e mortas. O carvão não é mais do que corpos de plantas cristalizados; o coral também é a cristalização de formas animais. A vida deixa as formas e as formas morrem. A vida nunca chegou a uma forma para despertá-la para a vida. A vida abandona as formas e as formas morrem. Foi assim que as coisas "mortas" vieram a ser. Neste quinto estrato está a fonte primordial da vida, da qual originou-se o ímpeto que construiu todas as formas na Terra. Corresponde à Região do Pensamento Abstrato. (6) Estrato Ígneo: Por estranho que pareça, este estrato possui sensibilidade. Prazer e dor, simpatia e antipatia têm aqui sua ação sobre a terra. Supõe-se geralmente que, sob nenhuma circunstância, a terra pode ter qualquer sensação. Contudo, o cientista ocultista ao observar a colheita dos grãos maduros e o amontoado das frutas que vem das árvores no outono, ou o apanhar das flores, conhece o prazer experimentado pela própria terra. É semelhante ao prazer sentido pela vaca quando seus úberes cheios são aliviados pelo sugar do bezerro. A terra sente o prazer de ter proporcionado alimento para a sua progênie de Formas, e este prazer culmina na época da colheita. Por outro lado, quando as plantas são arrancadas pelas raízes, é patente para o cientista ocultista que a terra sente uma aguilhoada de dor. Por essa razão, ele não come os alimentos vegetais que crescem debaixo da terra. Em primeiro lugar, eles estão cheios da força da terra e deficientes da força do Sol e, por adição, estão envenenados por terem sido arrancados pela raiz. A única exceção a esta regra é que ele pode compartilhar frugalmente da batata, que originalmente crescia na superfície da terra, e que apenas recentemente cresce debaixo do solo. Os ocultistas procuram nitrir seus corpos com frutas que crescem em direção ao Sol, porque ele as contém mais da força superior do Sol, e não causaram dor à terra. Poder-se-ia supor que a mineração deveria ser muito dolorosa para a terra, mas é o contrário. Cada desintegração da crosta dura, causa uma sensação de alívio e cada solidificação é uma fonte de dor. Onde uma corrente de água da montanha lava a terra e a carrega para as planícies, a terra se sente mais livre. Onde a matéria desintegrada é novamente depositada, como nos baixios na foz de um grande rio, aí há uma correspondente sensação de preocupação. Como a sensação nos animais e nos homens é devida aos seus corpos vitais separados, assim também o sentimento da terra é particularmente ativo neste sexto estrato, que corresponde ao Mundo do Espírito de Vida. Para entender o prazer sentido quando a mineração está desintegrando a rocha dura, e a dor quando depósitos acumulam-se, devemos lembrar que a Terra é o corpo denso de um Grande Espírito, e para suprir-nos com um ambiente no qual pudéssemos viver e adquirir experiência, teve que cristalizar este corpo em sua condição atual. Contudo, como a evolução continua e o homem aprende as lições concernentes a este apogeu de solidificação, a Terra tornar-se-á mais branda e seu Espírito mais e mais liberto. Isto é o que Paulo quis dizer, quando falou sobre toda a criação "gemendo e labutando", esperando pelo dia da libertação. (7) Estrato Refletor: Esta parte da Terra corresponde ao Mundo do Espírito Divino. Na ciência oculta há o que se conhece como e Segredos Inexprimíveis". Para os que estão familiarizados com estes segredos, ou que não têm nem uma vaga idéia de seu significado, as propriedades deste estrato devem parecer particularmente absurdas e grotescas. Em tudo isto as forças, conhecidas por nós como "Leis da Natureza", existem como forças morais ou, talvez, forças imorais. No começo da carreira consciente do homem, elas eram muito piores do que são agora. Mas parece que, à medida que a humanidade progride moralmente, estas forças crescem na mesma medida; também qualquer lapso na moral tem a tendência de desencadear estas Forças da Natureza e obrigá-las a criar devastação sobre a Terra; enquanto a luta por ideais mais elevados as tornam menos inimigas do homem. As forças neste estrato são, em qualquer tempo, um exato reflexo da existente condição moral da humanidade. Do ponto de vista oculto, a "Mão de Deus" que castiga uma Sodoma ou uma Gomorra, não é uma superstição tola, pois tão certo quanto há uma responsabilidade individual quanto a Lei de Conseqüência, que traz a cada pessoa a justa recompensa de suas ações, tanto para o bem como para o mal, assim também há uma responsabilidade comunitária e racional, traz para grupos de homens recompensas correspondentes a suas ações coletivas. As Forças da Natureza são agentes gerais dessa justiça retribuidora, causando enchentes, terremotos, ou formação benéfica do óleo ou carvão em vários grupos, conforme seus merecimentos. 8) Estrato Atômico: Este é o nome dado pelos Rosacruzes ao oitavo estrato da terra, o qual é a expressão do Mundo dos Espíritos Virginais. Parece ter a propriedade de multiplicar todas as coisas que nele estão; contudo, isto se aplica apenas às coisas que tenham sido definitivamente formadas. Um pedaço de madeira sem forma, ou uma pedra bruta, não têm existência aí, mas sobre qualquer coisa que tenha tido forma, ou que tenha forma e vida (como uma flor ou um quadro), este estrato tem o efeito da multiplicação, em grau extraordinário. (9) Expressão Material do Espírito Terrestre: Há, aqui, correntes lemniscatas, que estão intimamente relacionadas com o cérebro, o coração e os órgãos sexuais da raça humana. Corresponde ao Mundo de Deus. (l0) Centro do Ser do Espírito Terrestre: Nada mais pode ser dito sobre isto no presente, exceto que é o máximo campo de sementes de tudo que há dentro e sobre a Terra, corresponde ao Absoluto.Max Heindel.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Sugestões de Sagitário.

A personalidade e o Corpo Denso regido pelo signo de fogo e comum de Sagitário são influenciados pelos Senhores da Mente, a humanidade do Período de Saturno. Este signo da casa nona rege a mente superior e encontramos dois tipos indicados por seu símbolo, o centauro, aqueles que seguem os impulsos do eu inferior e da mente concreta; e os que aspiram ou atiram ao céu com seu arco e flecha. Se o filho de Sagitário puder conservar seu alvo elevado e não for afastado do seu rumo pela parte animal da sua natureza, a seta atingirá próximo ao alvo e ele será também beneficiado em sua saúde. Há um ditado em que os nativos deste signo devem ter sempre presente “não é o fracasso que é crime, mas sim o alvo inferior”. É bom estudar astrologia do ponto de vista cósmico e evolucionário de nos interessarmos pelo nosso próprio tema. Verificaremos que a razão principal para este estudo é dar-nos a habilidade de associar nossa mente com o Mundo do Pensamento Abstrato, o mundo onde o Ego tem seu lar. Aprendemos também a dar ajuda prática, servindo a humanidade por meio da astrologia médica. A prática de se deter sobre os aspectos negativos que nós ou os outros tenhamos, ou de erigir temas para pessoas que querem saber quando os deuses lhes são favoráveis ou adversos, não é aconselhado pela Fraternidade Rosacruz, nem por nenhuma outra escola ocultista séria. Daí só observarmos as tendências, de modo a podermos combater os problemas de saúde. Eles são, é certo, muito mais reais neste plano físico, e o corpo saudável é a primeira consideração para o estudante ocultista. A mente sã e o coração terno surgirão quando purificarmos e refinarmos o Corpo Denso. Um corpo gerado sob um signo é tão bom como o gerado sob qualquer outro para o propósito de fazer progresso, o progresso necessitado pelo possuidor do corpo. De fato, qualquer que seja a espécie do corpo que você tenha, é certo que ele é o melhor para você no momento. A personalidade oportunista do animal Sagitariano é o esportista profissional ou alguém interessado em esportes. Alguns esportes são desumanos e podem até induzir ao crime, mas o tipo inferior do nativo de Sagitário é mais susceptível de ser indulgente com os baixos apetites do que a ser violentamente criminoso. O tipo elevado de Sagitário, o lado humano, tem interesse por assuntos elevados. Procura a religião e a filosofia e é amante da justiça. Poderá ser um bom juiz, possuidor do mais elevado padrão moral. Sagitário rege as coxas e os quadris, o ilíaco, o fêmur, a região sacra e coxígea da espinha, as artérias e veias ilíacas e os nervos ciáticos. O Sol rege o fluido vital especializado pelo baço, o coração e o “ponsvaroii” (massa de fibras transversais na parte inferior do cérebro, no extremo anterior da medula). Daí que o Sol aflito em Sagitário de tendência à ciática, a paralisia das pernas e por ação reflexa em Gêmeos, perturbações pulmonares. Ar puro e Sol, combinados com exercícios moderados são as necessidades dessas pessoas. Vênus regente d Touro e Libra têm domínio sobre a garganta, os rins, a glândula Timo e a circulação venosa e quando aflita em Sagitário dá tendências para tumores e doenças semelhantes nos quadris. E por ação reflexa, podem manifestar-se afecções nos brônquios e nos pulmões. O estelar Mercúrio, regente de Gêmeos e Virgem, também rege o hemisfério cerebral direito, os nervos sensoriais, os brônquios, a glândula tireóide, a circulação pulmonar, o sistema cérebro-espinhal, o fluido vital dos nervos, as cordas vocais, os ouvidos, a visão, a língua, todos os sentidos da percepção e a respiração. Quando adversamente aspectado em Sagitário, causará sofrimentos nos quadris e nas coxas. E por ação reflexa poderá produzir tosse, asma ou pleurisia. A órbita Lunar, regente o signo de Câncer, tem domínio sobre o esôfago e o estômago, o útero e os ovários, o sistema nervoso simpático, o sistema linfático e o fluido sinovial. Quem tiver a Lua aflita em Sagitário poderá vir a sofrer de doenças do sangue, doenças nos quadris ou talvez tenha um fêmur quebrado. E por ação reflexa, poderá ter asma. Alimentação cuidadosa e tratamentos ou cuidados para melhorar a ação linfática será muito benéfico para tais pessoas. Saturno é considerado o estelar da obstrução e da cristalização, e tem regência sobre a vesícula biliar, a pele (proteção). Quando está em Sagitário e recebendo aspectos adversos de outros estelares, dá tendência para contusões dos quadris e das coxas, à gota, a ciática e doenças dos quadris. Tendência para quedas ou pancadas que produzirão injúria nos quadris e nas coxas. Cultivar o otimismo e a alegria será de grande auxilio para essas pessoas manterem a saúde. Júpiter, o regente de Sagitário, também rege o fígado, o glicogênio, as supra-renais, a circulação arterial, a fibrina do sangue e a distribuição das gorduras pelo corpo. Por isso muitas vezes vemos as pessoas de Sagitário com Júpiter aflito nesse signo, ser corpulenta, com excesso de peso, por gostar demais de alimentos ricos. As supra-renais de quem como muito se tornam doentes e tais pessoas têm pouca energia quando dele necessitam. Sua circulação torna-se pobre e o corpo pode tornar-se balofo e fácil de ser invadido pelos germes. Aqueles que comem com moderação e fazem os exercícios necessários, são também os mais joviais e benevolentes de todas as pessoas, o otimismo puro. Da atitude otimista vêm fortes vibrações de saúde. Marte, regente de Áries e Escorpião, também têm domínio sobre o ferro e a matéria corante do sangue, os nervos motores, o hemisfério cerebral esquerdo, os movimentos musculares, os genitais e o Corpo de Desejos. Quando aflito em Sagitário sugere tendências para fratura ou distensão do fêmur, ciática e ulcerações nas coxas. Por ação reflexa, pneumonia, bronquite, tosses e resfriados serão manifestados. A prática do equilíbrio e moderação em todas as coisas auxiliará essas pessoas a manterem a harmonia do corpo. A estrela fixa Antares, nos 8º graus de Sagitário, tem efeito pernicioso sobre a visão. Qualquer dos luminares (Sol e Lua) situado nesta estrela mau aspectado por um maléfico, ou maléfico nesta nebulosa sendo adverso ao Sol ou a Lua, tem efeito semelhante nas perturbações da visão. O cuidado adequado dos olhos e a formação de habito de exercício dos olhos durante o ciclo infantil da vida mitigará os efeitos que poderão se manifestar mais tarde. Aqui, como em todos os pontos fracos do tema devemos tomar a nossa “gama de prevenção”, no principio da vida aprendendo a lição de cuidar dos olhos, do que nos sujeitarmos ao caminho mais duro do sofrimento na sua parte posterior. Para a tensão dos nativos de Sagitário, sugerimos a execução do exercício vespertino da retrospecção diária, em ordem inversa, como o explicam os ensinamentos Rosacruzes, e também a do exercício matinal da concentração. Fazendo esses exercícios, essas pessoas experimentarão os resultados mais benéficos do que se usarem qualquer outra forma de terapia mental. O relaxamento muscular e a fixação da mente em assuntos ou ideais elevados não é tarefa difícil para o Sagitariano que aspira. Finalmente, não nos esqueçamos de qualquer um, seja nativo de Sagitário ou de qualquer outro signo, que tenha problemas sobre saúde, deve começar agindo sobre o ser interior. O ser humano interior construiu e continua a construir a sua forma externa. Revista Rosacruz – Dez/60.